Connect with us

O que você está procurando?

Facebook Twitter Instagram Youtube pinterest
Alto Astral
Yasmin Brunet chamou atenção para o transtorno ao reclamar de sua compulsão alimentar dentro da casa do BBB 24
Yasmin Brunet revelou que sofre de compulsão alimentar - Foto: Reprodução / Globoplay

Saúde

Compulsão alimentar: entenda o transtorno de Yasmin Brunet

Yasmin Brunet chamou atenção para o transtorno ao reclamar de sua compulsão alimentar dentro da casa do BBB 24

Um dos assuntos mais comentados no BBB 24 dentro e fora da casa é a relação de Yasmin Brunet com a comida. A modelo revelou que sofre de compulsão alimentar e explicou que o confinamento tem afetado a sua condição. 

Segundo Larissa Artuni, psicóloga clínica da Clínica Mundo Neuropsi, a compulsão alimentar ocorre quando a pessoa sente necessidade de consumir alimentos em grandes quantidades mesmo sem estar com fome

“Quando a comida é usada para suprir diferentes estados emocionais, como tristeza e ansiedade, o indivíduo fica com mais dificuldade em entender se já está saciado ou se precisa ingerir mais alimentos. Isso ocorre durante o episódio de compulsão, em que a pessoa não come simplesmente por querer, mas sim por não ser capaz de controlar seus impulsos e de reconhecer o estado de saciedade do seu corpo”, explica. 

De acordo com a especialista, é comum que nesses casos, a pessoa até coma escondida das outras por sentir vergonha e culpa do descontrole. Além disso, ela pode apresentar dificuldade em seguir dietas para emagrecer e regular a sua alimentação.

Tratamento da compulsão alimentar

A compulsão alimentar atinge cerca de 2,5% da população mundial, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, 4,7% da população têm algum tipo de transtorno alimentar. Identificar e tratar o problema é importante para evitar complicações físicas e emocionais. 

Para isso, é preciso alinhar tratamentos com equipe multidisciplinar que envolva, além do psicólogo, nutricionista, clínico geral e psiquiatra. No entanto, o paciente é só encaminhado para esses profissionais caso exista necessidade.

“Não se pode descartar o acompanhamento de profissionais, pois muitas variáveis podem surgir no processo de cura, como a dificuldade em estabelecer rotinas, em identificar emoções, traumas que podem surgir durante o processo, entre outras situações em que pessoas capacitadas e especializadas são imprescindíveis”, finaliza Larissa. 

Mais notícias como essa

Saúde

Muitas pessoas acreditam em mitos sobre a dengue e, por isso, acabam não se protegendo da forma correta contra o Aedes aegypti

Receitas

Saiba como fazer um quiabo perfeito, sem baba e sequinho, para preparar uma receita deliciosa com carne moída

Pets

Veterinária explica por que doenças parasitárias em pets são mais comuns no verão, quais são elas e como prevenir e tratar

Finanças e Empreendedorismo

Especialista comenta quais são os aparelhos “gastões” e explica truques para diminuir a conta de energia da sua casa