SAÚDE

Karol Conká possui mitomania? Conheça a doença que faz mentir compulsivamente

Saiba mais sobre este comportamento e o motivo da relação com a participante

Karol Conká
Karol Conká - Reprodução / Instagram

por Daniela Orlandi
Publicado em 22/02/2021 às 16:44
Atualizado às 16:44

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Karol Conká, participante do Big Brother Brasil 21, tem dado o que falar nesta edição do reality, seja por seu comportamento incisivo, posturas inesperadas ou atitudes agressivas.

Após inúmeros episódios dentro da casa mais vigiada do país, estão associando a rapper ao distúrbio psíquico conhecido como mitomania.

Mitomania é a mentira patológica, na qual o paciente tem compulsão por mentir. É um comportamento que se manifesta de maneira consciente, porém involuntária. Ou seja, é como se a pessoa relativizasse os acontecimentos para poder recriar a história de acordo com a sua posição e valores.

Segundo o psicólogo Dr. Yuri Busin, a pessoa não consegue parar de mentir. "Essas mentiras não são somente verbais, às vezes têm sintomas físicos, como fingir passar mal".

No programa, participantes e espectadores têm notado incoerências nas histórias que Karol conta. Uma das que chamou atenção foi seu caso amoroso com Arcrebiano. Após ela ir atrás dele, em busca de um beijo, de forma insistente, a cantora comentou com outros integrantes da casa que, na verdade, foi o rapaz quem foi atrás de sua atenção primeiro.

A grande diferença entre as pessoas para as quais mentir é um hábito comum e o mitomaníaco, é o teor e intenção que se coloca no ato.

"A mentira serve tanto para ajuste social quanto para proteger algum tipo de coisa ou alguém", explica Yuri.

Algumas vezes, a mentira não tem a finalidade de tirar alguma vantagem.

No caso de quem apresenta o distúrbio, o indivíduo simplesmente não consegue parar de mentir. Mesmo que nem sempre busque algum ganho com a ação, conta algo que é falso. 

O diagnóstico nestes casos pode ser feito por um psiquiatra ou um psicólogo, em acompanhamento clínico. O tratamento é feito principalmente pelo psicólogo que, junto do paciente, vai trabalhar o que está acontecendo, indica Yuri.

Neste processo, é entendido como controlar a impulsividade, o anseio em mentir, como pensar de outras formas e lidar com as situações. Dessa maneira, se enfrenta o que está por trás dessa vontade muito forte de contar mentiras compulsivamente.

Consultoria: Dr. Yuri Busin, psicólogo, mestre e doutor em neurociência do comportamento pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Diretor do Centro de Atenção à Saúde Mental - Equilíbrio (CASME).