Papa Francisco: “Na Bíblia, vemos que o próprio Deus deve usar a misericórdia para suportar as lamentações do seu povo”

Papa Francisco dá conselhos sobre suportar com paciência as fraquezas do próximo. Leia mais e saiba como aplicá-los em seu dia a dia!

None
Foto: iStock

por Redação Alto Astral
Publicado em 21/11/2016 às 10:28
Atualizado às 11:59

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Na última quarta-feira, 16, o Papa Francisco realizou, na Audiência Geral, sua última catequese do Ano da Misericórdia, que se encerrou ontem, dia 20. Durante sua fala, Francisco deu conselhos sobre suportar com paciência as fraquezas do próximo. Confira, a seguir, algumas dessas dicas valiosas e aplique-as no seu dia a dia para viver melhor com todos ao seu redor.

Retrato de Papa Francisco sorrindo

Foto: iStock

Ensinamentos de Deus

O papa começou seu discurso dizendo que todos nós temos uma grande facilidade em identificar quem são aquelas pessoas que nos incomodam. E que logo nos questionamos por quanto tempo teremos que aguentar as lamentações, fofocas, pedidos intermináveis… Porém, fazendo referência com a Bíblia, Francisco relembrou a relação de Deus com os povos hebreus durante o Êxodo. Durante esse período, nosso Pai nos deu um maravilhoso exemplo de como precisamos ser pacientes e misericordiosos para com aqueles que nos importunam. Outro exemplo encontra-se na passagem na qual Jesus fez os Apóstolos enxergarem o que realmente era essencial em suas missões, pois eles estavam tentados pelos caminhos da inveja e do poder. “Na Bíblia, vemos que o próprio Deus deve usar a misericórdia para suportar as lamentações do seu povo”, disse o pontífice.

Coloque-se no lugar do próximo

Para Francisco, é fácil falarmos sobre dos defeitos dos outros, porém, será que paramos para fazer uma reflexão a respeito dos nossos atos? Você já parou para se perguntar se alguma vez já importunou outra pessoa? Quando nos deparamos com uma situação desta natureza, existem duas obras de misericórdia que são muito importantes: ensinar os ignorantes e corrigir os que erram. O pontífice cita um grande exemplo: “Penso por exemplo nos catequistas – entre os quais as muitas mães e religiosas – que dedicam tempo para ensinar às crianças os elementos basilares da fé. Quanto esforço, sobretudo quando os jovens preferiram brincar ao invés de ouvir o catecismo!”, diz.

LEIA TAMBÉM

Evite as tentações

Francisco nos diz que, quando ensinamos alguém próximo a descobrir o que o Senhor quer de cada um de nós e como podemos corresponder a isso, significa colocar-se no caminho para crescer na própria vocação e evitar, assim, cair em tentações como inveja, ambição e adulação. Porém, ele nos faz um alerta: ensinar os outros não significa que temos permissão de nos sentirmos superiores. Devemos sempre olhar para nós mesmos e verificarmos se nossas ações são coerentes com aquilo que passamos como ensinamento.

Ao final de sua fala, Papa Francisco concluiu com uma célebre frase a preciosa reflexão: “Não nos esqueçamos das palavras de Jesus: ‘Por que olha para o cisco no olho do irmão, ignorando a trave que está no seu?’ Que o Espírito Santo nos ajude a sermos pacientes em suportar e humildes e simples ao aconselhar”, afirmou.

Fonte: www.encontrocomcristo.com.br | www.pt.alteia.org | Design: Aline Barudi

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.