ESTILO DE VIDA

Afinal, o que é a felicidade que todos nós almejamos?

Todos desejamos ser felizes, independente da situação. Porém, o significado de felicidade pode variar de pessoa para pessoa.

None
Foto: Freepik

por Redação Alto Astral
Publicado em 13/01/2017 às 09:28
Atualizado às 17:01

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Todos desejamos ser felizes, independente da situação. Porém, o significado de felicidade pode variar para cada um. Em geral, segundo a Enciclopédia Logos, ela é vista como uma “experiência de plenitude, satisfação resultante da obtenção daquilo a que o sujeito tendia ou que aspirava”. Partindo dessa definição, podemos perceber que a felicidade é um sentimento que está ligado ao passado, sendo o bem-estar resultante de ações diversas.

Um estudo feito pela Universidade do Estado de São Francisco, nos Estados Unidos, mostrou que as pessoas mais extrovertidas e com uma visão mais positiva da vida, inclusive do seu passado, se mostravam mais satisfeitas com a vida do que aquelas introspectivas e negativas. Esse modo de enxergar a vida, que são traços de personalidade, influenciam de forma direta como as pessoas analisam seus passados e sua felicidade.

menina, felicidade, celebração

Foto: Freepik

O papel da memória

Telma Nogueira, treinadora em programação neurolinguística, concorda com os resultados da pesquisa. Segundo ela, as memórias têm um papel determinante na satisfação pessoal e profissional, pois conectam a pessoa com habilidades positivas como a autoconfiança e a determinação: “Todo profissional que tem facilidade de acessar essas sensações, tende a ter melhores relacionamentos, acessa a criatividade com facilidade e enxerga novas oportunidades”. Ela ainda reforça que “não há possibilidade de acessar ao mesmo tempo uma memória feliz e outra triste, é preciso cessar uma para acessar a outra”. Por isso, ao ter uma visão mais positiva de seu passado, você influencia o sentimento atrelado a ele, gerando uma felicidade maior.

LEIA TAMBÉM

Texto: Redação Edição: Angelo Matilha Cherubini

Consultoria: Telma Nogueira, treinadora em programação neurolinguística