ESTILO DE VIDA

Fibras e disciplina: hábitos que evitam a constipação na infância

Cuidados com a alimentação e idas regulares ao troninho são formas de garantir aos pequenos bem-estar e evitar problemas de evacuação. Confira!

None
Foto: Shutterstock Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 03/08/2016 às 20:13
Atualizado às 21:02

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

As fibras e a disciplina com a hora de ir ao troninho são as bases (alimentares e de rotina) que ajudam a evitar os desconfortos da constipação, distúrbio comum na infância. Por isso, para que seu filho não sofra, saiba como lidar com esse mal e ajudar o pequeno a evitar o incômodo.

prisao de ventre na infancia

Foto: Shutterstock Images

Entendendo o problema

A constipação, também conhecida por prisão de ventre, é um mal que causa incômodos, problemas emocionais e dores abdominais, e com as crianças não é diferente. O intestino preguiçoso é distúrbio comum na infância e causa frequente de preocupação para os pais e de visitas ao médico.

É certo que a alimentação do dia a dia, muitas vezes rápida e carente de nutrientes, prejudica o funcionamento do intestino e pode favorecer a constipação, porém, existem outros fatores agravantes: vergonha, estresse, preguiça e baixa ingestão de líquidos são motivos comuns de retenção das fezes, principalmente quando se trata das crianças.

Por isso, os pais devem estar sempre atentos aos hábitos da criançada, controlando principalmente a alimentação e prestando atenção aos sinais: “A prisão de ventre caracteriza-se, basicamente, pela diminuição da frequência de evacuações (menos de três vezes na semana), acompanhada de fezes endurecidas ou ressecadas, dificuldade e dor evacuatória , desconforto e distensão abdominal”, alerta a cirurgiã do aparelho digestivo Terry Medeiros.

Mas o problema pode ser mais grave do que um desconforto indesejado para os pequenos. Se não tratada adequadamente, a prisão de ventre pode ocasionar acúmulo de toxinas e desencadear outros problemas como inchaços abdominais, gases e irritabilidade.

Fibras, sim!

Para que as crianças possam viver longe dos incômodos intestinais, precisam ser incentivadas a ter uma alimentação saudável. As fibras são fundamentais para melhorar a digestão e combater a prisão de ventre. Se a criança não estiver acostumada, introduza as fibras aos poucos na alimentação.

“São encontradas nos cereais, leguminosas, oleaginosas, frutas, verduras e legumes”, destaca a nutricionista Elaine Pádua, especialista em nutrição de crianças e adolescentes.

Porém, junto com as fibras, não esqueça de incentivar também a ingestão de líquidos, já que a água éessencial para garantir a ação benéfica desses nutrientes para o bom funcionamento do intestino.

Rotina boa

“Indisciplina alimentar, como não obedecer horários de alimentação, pode contribuir para a prisão de ventre”, afirma Elaine. Sendo assim, nada melhor do que estabelecer uma rotina alimentar para a família toda. A primeira refeição do dia, o café da manhã, garante o bom desenvolvimento da criança em suas atividades diárias. É também uma ótima oportunidade para acrescentar frutas e cereais à nutrição diária. E o mesmo vale com a periodicidade de ir ao banheiro: nada de deixar para depois, pois esse hábito resseca as fezes, dificultando a evacuação. Lembre-se de ensiná-los a não segurar a vontade por muito tempo, ok?

fibras-para-evitar-prisão-de-ventre

Foto: iStock com e Getty Images

Melhor prevenir!

Ver os filhos sofrendo com os desconfortos da prisão de ventre não é fácil. Mas a nutricionista alerta para o uso de medicamentos sem indicação médica. “Deve-se evitar o uso de laxantes, já que podem irritar a parede do intestino e causar dependência. Além disso, medicamentos resultam em mobilidade reduzida no colón do intestino, gerando movimentos intestinais infrequentes ou dificultados”, explica.

Saiba mais:

Como melhorar a alimentação de adolescentes, você sabe?

6 sucos para combater a prisão de ventre

5 frutas campeãs em fibras

Consultoria Elaine Pádua, nutricionista e Terry Medeiros, cirurgiã do aparelho digestivo