ESTILO DE VIDA

Ensinar os filhos a lidar com dinheiro desde cedo pode ajudá-los no futuro

Ajudar a crianças a desenvolver noções de economia e de planejamento financeiro são alguns dos benefícios em ensinar os filhos a lidar com dinheiro

None
FOTO: iStock.com/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 01/03/2018 às 07:00
Atualizado às 13:58

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Quem tem crianças em casa certamente já se deparou com estes dilemas: “A partir de qual idade ela deve começar a lidar com dinheiro?”; “Como explicar de onde vem o salário?”; “Devo dar mesada ou não?”. A superintendente de Sustentabilidade e Negócios Inclusivos do Itaú, Denise Hills, indica cinco passos para ensinar os pequenos a terem uma boa relação com o dinheiro. Confira abaixo e aprenda como ensinar os filhos a lidar com dinheiro.

Fale de dinheiro

As finanças devem ser tratadas como parte importante da vida. É a responsabilidade financeira que ajuda a realizar sonhos e, por isso, o dinheiro precisa ser usado de forma consciente. “Fale naturalmente com as crianças sobre escolhas, cuidado, consciência e, especialmente, sobre o bom uso daquilo que dá bastante trabalho para ganhar”, comenta Denise.

Dê mesada

De acordo com a especialista, a partir dos seis anos as crianças podem começar a cuidar do próprio dinheiro. Se puder, dê uma pequena semanada e explique quais gastos devem sair dali (lanche da escola, por exemplo). “Se o dinheiro acabar antes, não dê mais nada além do combinado. A função da semanada é ensinar a preparar e cumprir um orçamento”, salienta. No caso da mesada, especialistas recomendam a prática a partir dos 11 anos.

Ensine o bom uso do dinheiro

Envolva os pequenos na lista do supermercado, pedindo ajuda a eles na hora da compra. Essa é uma boa forma para ensinar a eles sobre planejamento e escolhas conscientes.

Trace metas

Denise aconselha: “Planeje os objetivos em comum da família, como uma viagem de fim de ano. Envolva as crianças para ajudarem a poupar na conta de telefone ou de luz e usar as economias para atingir esse objetivo”.

Mostre responsabilidade

Para as famílias endividadas, a orientação é a mesma que para qualquer outra dificuldade: os adultos precisam se acertar antes de conversar com as crianças e dar a eles a segurança que estão no controle.

Texto: Da redação | Consultoria: Denise Hills, superintendente de Sustentabilidade e Negócios Inclusivos do Itaú

LEIA TAMBÉM