Você sabe dizer não? Confira algumas dicas para não dizer sim para todos

Falar “sim” para tudo pode até parecer uma atitude cordial, entretanto, danos emocionais podem lhe afetar se a negativa se fizer muito ausente

None
Foto: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 09/12/2016 às 12:31
Atualizado às 12:55

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Um não, muita vezes, pode parecer uma resposta difícil de ser aceita. Afinal, tudo começa lá na infância: antes de pedir algo aos pais, os argumentos sempre eram muito bem pensados para que a temível resposta não estragasse todos os planos elaborados com antecedência. E não é para menos: essa simples palavra pode determinar uma série de coisas, que podem ajudar ou atrapalhar a rotina.

homem com a mão na cabeça

Foto: Shutterstock

Mas você já parou para pensar como seria se dissesse “sim” para tudo? Aceitar todos os convites para sair, não negar a prestação de favores, trabalhar excessivamente… Tudo isso pode ser muito prejudicial e acabar acarretando em alguns problemas que poderiam ser evitados. “Quando não se sabe dizer ‘não’, você está concordando com a maneira do outro, isto é, não dá limites e não mostra o quão aquilo pode ser negativo para você. Precisamos deixar de criar uma barreira para o ‘não’, fazendo com que ele seja respeitado de maneira conscientizada”, aconselha a psicóloga Letícia Guedes.

Não: uma questão de equilíbrio

Dizer apenas “sim” não é questão de ser educado ou passar a impressão constante de agradabilidade. Muito pelo contrário: o equilíbrio emocional depende, muitas vezes, da capacidade de saber mediar tudo aquilo que lhe faz bem ou não. Por exemplo, aceitar um convite para sair pode ser ótimo. Afinal, conhecer gente nova e passar um tempo divertido com as pessoas que mais se gosta é superlegal.

Em contrapartida, o outro pode ter tido uma semana difícil e necessitar de um tempo só seu, seja para tomar um relaxante banho quente ou fazer a leitura de um bom livro. Pode até parecer um “tempo perdido”, mas colocar a mente no lugar dedicando um momento para si próprio é uma excelente – e necessária – ideia.

Outra situação é quando costumam oferecer rifas ou algum tipo de produto em seu ambiente de trabalho ou familiar. Imediatamente, algumas pessoas podem até se lembrar do orçamento apertado daquele mês ou que ainda devem por outro produto que também compraram por educação. Mas o “sim” sempre acaba vencendo: seja por medo de causar mágoas, prestar ajuda ou qualquer outro motivo, a vontade do outro prevalece. Mas você sabe até que ponto esse tipo de atitude é normal?

Autoestima prejudicada

A dificuldade em negar favores pode ser uma questão muito mais profunda do que se imagina: um problema com a própria autoestima. Afinal, para compensar a insatisfação com a aparência, o indivíduo pode tentar passar a imagem de uma pessoa compreensiva, boazinha e prestativa ao extremo. Os resultados são uma rotina atribulada, sentimentos confusos e falta de realização pessoal.

É como uma bola de neve: quanto mais as pessoas pedem, mais a outra atende aos seus pedidos como maneira de não causar nenhuma decepção. O que essa pessoa não sabe, na verdade, é que está passando a impressão inversa. O indivíduo que abusa da boa vontade alheia fica com a ideia de que essa pessoa que não sabe falar “não” é insegura, manipulável e até mesmo carente.

Além disso, por trás dessas impressões, podem se esconder más intenções. Quem vive pedindo favores pode estar se aproveitando e gastando o tempo dele com atividades agradáveis, enquanto outra pessoa se ocupa com suas obrigações.

Exercício diário

Para aprender a dizer “não”, o primeiro passo a ser tomado é evitar sentir culpa. Pense: quantas vezes as pessoas já lhe negaram favores? E mais do que isso: quanto aquele favor poderá prejudicar a sua rotina?

Dica 1: a questão não é começar a ser uma pessoa que sempre diz “não” para passar segurança e determinação. Tudo deve ser equilibrado, a fim de que sua paz interior – que é o bem mais precioso de todos – não sofra com esse tipo de resposta. É importante experimentar! Se alguém lhe oferecer algo para comprar e você não quiser naquele momento, diga que está economizando. Certamente, a pessoa não reagirá mal se a sua resposta for cordial.

Dica 2:agradeça, sempre! Apareceu um convite para sair ou viajar, mas você não está afim de aceitar ou não quer se comprometer financeiramente? Diga “não”, mas não deixe de agradecer pela lembrança. Isso fará com que ela também o convide nas próximas vezes e, quem sabe, você já esteja com vontade de quebrar a rotina.

Dica 3: que tal delegar funções? Em vez de realizar a tarefa que a pessoa pediu e entregá-la prontamente, procure ensiná-la a fazer ou até mesmo sugerir outra pessoa para ajudá-la. Assim, você estará ajudando, porém, com uma carga menor.

Dica 4: reflita. Pense bem em tudo o que já fez pelas pessoas e se elas retribuíram suas gentilezas. Depois, liste mentalmente as situações que mais gostaria de negar. Vale até mesmo ensaiar o “não” na frente do espelho! O importante é estar bem consigo e conquistar sua felicidade plena. Então, desintoxique-se!

LEIA TAMBÉM:

Consultoria: Fábio Sawada Shiba, neurologista; Letícia Guedes, psicóloga

Texto: Paula Santana