Como e quando começar a falar de drogas com os filhos?

Separamos as principais informações sobre a melhor maneira de iniciar essa conversa delicada sobre drogas com a criança ou o adolescente. Venha ver!

None
Fale do assunto de maneira natural Foto: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 13/04/2017 às 12:33
Atualizado às 12:41

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Educar e dar as orientações necessárias sobre as drogas é a melhor maneira de manter seu filho longe delas. Inclusive, especialistas alertam que o assunto deve começar a ser debatido em casa desde a infância, para que não se torne um tabu no ambiente familiar. Leia abaixo como falar de drogas aos filhos de uma maneira saudável e educativa.

Informe-se

  • Antes de colocar esse tema em discussão, os pais devem se orientar e buscar informações sobre esse assunto para estarem aptos a responder qualquer questionamento que o filho possa fazer.
  • Saiba quais são as drogas mais comuns, os efeitos que têm no cérebro e no corpo e as gírias que envolvem esse universo. Com todos esses dados em mãos, fica mais fácil manter um diálogo com segurança e tranquilidade.
  • A maneira como o assunto deve ser abordado varia de acordo com a faixa etária do seu filho. Para o pediatra Marcelo Reibscheid, crianças a partir de sete anos, em geral, já têm maturidade psicológica suficiente para entender as primeiras informações sobre essas substâncias perigosas. Para essa idade, use uma linguagem simplificada. O mais importante é ajudar na formação do posicionamento ético e responsável da criança. “Os conceitos de responsabilidade e a orientação para lidar com situações complicadas ajudam no desenvolvimento ético do adolescente e da criança e os afasta das más companhias e escolhas”, alerta o especialista.

Drogas na adolescência

  • Os adolescentes, normalmente, dão indícios de que estão em contato com o universo das drogas, mesmo que de forma indireta. “Muitas vezes, eles começam a falar de amigos que já viu fumando maconha ou usando outras drogas em festas”, detalha a psicóloga Angélica Amigo.
  • Nesse momento, aproveite a abertura para explicar os malefícios causados pelas drogas, sem esconder os danos que elas podem trazer ao corpo e à vida de uma pessoa. É hora de dar todos os detalhes, esclarecer qualquer dúvida que o jovem possa ter e mostrar as consequências do uso de drogas. “Os filhos precisam ser educados a assumir responsabilidades sobre suas ações, inclusive no caso das drogas”, complementa a psicóloga.
moça em uma festa segurando uma garrafa de cerveja e um cigarro

Fique atenta aos sinais dados pelos seus filhos! Foto: Shutterstock

Influência dos pais

Quando os pais fumam ou bebem, torna-se mais difícil educar os filhos sobre os perigos dessas substâncias. “Fazer uso de drogas pode despertar o interesse e a curiosidade da criança pelas drogas, entre outros malefícios”, ressalta Reibscheid. Nesse caso, em vez de ignorar o assunto, é melhor seguir o ditado “faça o que eu digo, não faça o que eu faço”.  “Mostre todos os problemas que o cigarro e o álcool podem causar ao organismo e fale que você está errada em usá-los, salientando o quanto foi fraca em se tornar dependente. É importante assumir essa fraqueza”, afirma Angélica.

Percebendo o problema

Os pais devem ficar de olho em qualquer indício que mostre o envolvimento de seu filho com as drogas. Alguns sinais podem ser percebidos:

  • o rendimento do jovem cai na escola;
  • o diálogo e a relação em casa tornam-se difíceis;
  • o interesse em outras atividades é perdido.

LEIA TAMBÉM:

TAGSFILHOS