ESTILO DE VIDA

Como organizar livros e revistas

Quem gosta de ler e compra revistas e livros com frequência sabe que não é fácil mantê-los organizados. O mesmo acontece com documentos, especialmente se

None
Foto: Dellanno

por Redação Alto Astral
Publicado em 20/07/2016 às 17:55
Atualizado às 17:05

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Quem gosta de ler e compra revistas e livros com frequência sabe que não é fácil mantê-los organizados. O mesmo acontece com documentos, especialmente se o espaço para guardá-los é pequeno. A designer de interiores Ana Adriano elaborou algumas dicas bem práticas para quem quiser aproveitar as férias e colocar tudo em ordem.

Foto: Dellanno

Foto: Dellanno

Tudo no lugar

Para começar, o ideal é determinar um espaço da casa como canto de leitura. Pode ser uma estante ou um armário para acomodar os livros e revistas, de forma que fiquem à mão para a leitura e possamos fazer a limpeza com frequência. “Gosto de indicar, além da limpeza diária, uma limpeza mensal, com os livros e revistas sendo retirados do móvel e com suas lombadas escovadas, para retirada de poeira e verificação de eventuais pragas, como os cupins”, recomenda Ana.

Sistema de organização

É bom guardar livros e revistas de forma organizada, por tamanho e assunto. Assim, fica mais fácil fazer uma busca rápida, por exemplo. Um sistema de organização simples é dividir os livros de romance, viagens, biografias e arte. “Aqueles livros mais bacanas, de arte ou viagem, com a capa bonita, podem ser colocados na sala, sobre o aparador ou mesa de centro. É um charme!”, afirma a designer de interiores.

Foto: Dellanno

Foto: Dellanno

Contas arrumadas

Quantos às contas, o ideal é que sejam arrumadas em pastas ou arquivos plásticos. Esses materiais são encontrados facilmente em papelarias e ajudam a manter tudo organizado. Guardar por tipo de conta e em ordem cronológica também é indicado.

Conheça o tempo mínimo para guardar cada documento!

  • Imposto de Renda, IPTU e IPVA – cinco anos;
  • Contas de água, luz, telefone e gás – guardar pelo menos as seis últimas contas para o caso de alguma controvérsia na cobrança ou necessidade de comprovação de consumo médio. No entanto, para questões judiciais, o prazo deve ser aumentado para, no mínimo, um ano, especialmente nos casos de locação de imóveis;
  • Convênio médico – quando deduzidas do IR, cinco anos;
  • Mensalidade escolar – dois anos. Mas, se forem abatidas no IR, por cinco anos;
  • Comprovantes de pagamento de empregados domésticos – cinco anos;
  • Aluguel – três anos;
  • Faturas de cartão de crédito – pagas à vista, por seis meses; à prazo, por cinco anos;
  • Notas fiscais de eletrodomésticos, eletrônicos e carros -enquanto você possuir os bens;
  • Condomínio – cinco anos;
  • Dívidas – guardar os recibos das prestações até a quitação e o comprovante da quitação por dois anos;
  • Compra de imóveis – os recibos devem ser guardados até ser feita a escritura do mesmo;
  • Multas de trânsito – dois anos;
  • Comprovante de pagamentos de honorários – cinco anos.
Foto: Dellanno

Foto: Dellanno

Local perfeito

As pastas ou arquivos com as contas e documentos podem ser guardados nos maleiros do armário, no escritório, na sala, dentro do rack ou do buffet e até na cozinha. O importante é que estejam protegidos da umidade, em lugar seco, para garantir a integridade do papel. “As contas do mês podem ficar à vista, em porta trecos, para que não haja esquecimento. O porta treco, se for organizado e bonitinho, pode ficar no aparador para facilitar a visualização”, termina Ana.