Como descobrir se seu filho é um gênio?

Está desconfiada que seu filho, filha ou alguma pessoa próxima é um gênio? Saiba como tirar a prova e a diferença entre gênios e autodidatas

None
FOTO: Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 21/10/2016 às 16:04
Atualizado às 13:24

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Se a própria definição de genialidade é complexa, imagine as avaliações para descobri-la! Você tem alguma suspeita de que seu filho, sua filha, irmão ou qualquer outra pessoa próxima é um gênio? Saiba que existem testes específicos para isso.

Como descobrir se seu filho é um gênio?

FOTO: Shutterstock.com

Testes para descobrir

Alguns testes neuropsicológicos direcionados podem ajudar na avaliação do quociente de inteligência e outras funções executivas necessárias para ser considerado um gênio.

Cada área profissional aplica testes diferentes. Tomografia, ressonância magnética e eletroencefalograma para verificar estruturas cerebrais e atividades neuronais podem ser pedidos por neurologistas. Já exames neuropsicológicos, como QI, WISC, WASI e outros tipos que podem verificar o grau de inteligência e o tipo de inteligência, podem ser solicitados por psicólogos.

Gênio X Autodidata

Quando se avalia as características de um gênio, muito se assemelha a uma pessoa autodidata. Porém, não são a mesma coisa. “O processo de aprendizagem certamente é mais rápido nos chamados gênios, mas não podemos generalizar: nem todo gênio é autodidata e nem todo autodidata é gênio”, destaca o neurologista Fabrício Hampshire.

Basicamente, o autodidata é alguém que tem a capacidade de aprender sem ajuda profissional, enquanto o gênio até pode aprender sozinho, mas geralmente necessita de auxílio para aprender. “A grande diferença entre os dois é que o autodidata pode aprender sozinho e não chegar a conclusões brilhantes às quais um gênio chegaria, pois seu processamento de informação é mais rápido e encontra mais respostas do que outras pessoas encontrariam”, complementa a psicóloga Zora Viana.

Outro detalhe é que gênios são apaixonados por o que fazem e se dedicam muito àquilo. “Isso faz com que você desenvolva mais a massa cinzenta do cérebro e as células gliais. Então, uma pessoa autodidata pode transformar-se em um gênio se ela focar naquilo que está fazendo, se ela é apaixonada pelo que faz e se envolve integralmente naquilo”, afirma Wallace Liima, professor e pesquisador em saúde quântica.

LEIA TAMBÉM

Texto: Natália Negretti – Edição: Victor Santos
Consultorias: Fabrício Hampshire, neurologista do Hospital Caxias D’Or, em Duque de Caxias (RJ); Wallace Liima, professor e pesquisador em saúde quântica; Zora Viana, psicóloga especialista em neuropsicologia.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.