ESTILO DE VIDA

Cérebro nota 10: ouvir música pode recuperar lesões cerebrais

Cérebro nota 10: escutar música, além de causar relaxamento, pode recuperar lesões cerebrais, além de ativar áreas responsáveis pelas emoções e criatividade

None
Imagem: Shutterstock Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 19/08/2016 às 14:49
Atualizado às 21:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Quem não gosta de ouvir uma boa música? Esse momento, além de divertido, também faz bem ao cérebro. Pode ser clássica, jazz e até o bom e velho rock’n’roll.

Conforme publicado no Cochrane Collaboration Reviews, a musicoterapiatem ótimos resultados no cérebro, especialmente para a recuperação de lesão cerebral adquirida (LCA). Quem sofre de LCA apresenta limitações nas funções motoras, problemas com linguagem, prejuízo cognitivo, processamento sensorial limitado e distúrbios emocionais. Esses sintomas desencadeiam efeitos negativos profundos na qualidade de vida do portador. Os terapeutas cognitivos utilizam a musicoterapia com o propósito de remediação cognitiva, auxiliando na reabilitação dos pacientes com nenhuma ou pouca medicação.

Imagem: Shutterstock Images

Imagem: Shutterstock Images

Uma pesquisa feita na Finlândia, publicada na Nature Neuroscience, descobriu uma nova técnica sobre o processamento cerebral das músicas que analisa a percepção do ritmo, dos tons e do timbre, classificando os sons em cores. Os estudos comprovaram que grandes áreas do cérebro, como as redes neuronais responsáveis pelas ações motoras, emoções e criatividade, são ativadas quando ouvimos música.

As áreas límbicas, associadas às emoções, estão envolvidas no processamento do ritmo e dos tons. A compreensão do timbre depende da associação com a criatividade e a imaginação. Já os pulsos musicais acionam áreas relacionadas às ações motoras; daí a ideia de que música e movimento estão intimamente relacionados.

Além dos efeitos físicos desencadeados pela musicoterapia, a dopamina liberada no organismo, que funciona como um neurotransmissor, promove uma sensação de bem-estar. O nível de liberação da dopamina varia de acordo com a emoção e o prazer, por isso a música é tão eficiente nos tratamentos contra a depressão.

Som relaxante

“Escutar música promove um relaxamento no indivíduo através de uma interação entre o córtex auditivo e a amígdala, culminando na diminuição do nível de cortisol secretado pelas glândulas suprarrenais. Isso reduz o estresse e seus efeitos nocivos sobre o sistema nervoso”, diz Célia Roesler, neurologista da Academia Brasileira de Neurologia.

Especial – Cérebro Nota 10:

Cérebro nota 10: Jogue Angry Birds contra o Alzheimer

Cérebro nota 10: Evite AVC tomando champanhe

Cérebro nota 10: ter fé ajuda a expressar melhor as emoções

Cérebro nota 10: meditar previne depressão e estresse

Cérebro nota 10: dar presentes melhora seus neurônios

Cérebro nota 10: comer menos pode prevenir Parkinson e Alzheimer

Cérebro nota 10: ócio criativo para melhor saúde mental

Cérebro nota 10: andar de moto pode turbinar memória e concentração

Cérebro nota 10: jogar videogame melhora habilidades motoras e visuais

Cérebro nota 10: o que atrapalha seu funcionamento?

Texto: Helena Ometto / colaboradora – Edição: Ricardo Piccinato