Ataque cardíaco: que cuidados devem ser tomados após a ocorrência de um?

Depois de sofrer um ataque cardíaco, a pessoa deve adotar mudanças significativas em seu estilo de vida para evitar nova ocorrência

None

por Redação Alto Astral
Publicado em 07/09/2017 às 07:00
Atualizado às 14:02

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Uma breve interrupção no fluxo sanguíneo pelas artérias coronárias pode alterar o ritmo cardíaco ou até mesmo ser fatal. O ataque cardíaco, uma das principais causas de morte no Brasil e no mundo, acontece quando o fluxo de sangue que flui normalmente nas artérias coronárias, que irrigam o músculo cardíaco, é obstruído. Caso este fluxo não seja restaurado rapidamente, o segmento não irrigado começa a morrer e, assim, ocorre o infarto agudo do miocárdio, podendo levar o paciente à morte ou mesmo deixar sequelas no coração, comprometendo a qualidade de vida. Isso exige do paciente atenção redobrada e mudança consciente dos hábitos do dia a dia, levando em conta que fatores de risco como idade e genética não são modificáveis.

Quanto antes, melhor

Por isso, o cardiologista Everton Cardoso Dombeck destaca a importância de um atendimento imediato. “É muito importante fazer o diagnóstico de um evento cardíaco o mais rápido possível, pois tempo é músculo. O paciente com quadro clínico sugestivo de infarto agudo do miocárdio deve ser encaminhado para um centro cardiológico especializado mais próximo, com estrutura adequada para o pronto restabelecimento do fluxo coronariano obstruído”, explica.

O diagnóstico precoce do infarto pode ser decisivo para o paciente. FOTO: Shutterstock Images

O cardiologista destaca ainda que a angioplastia é o padrão no tratamento. “Uma vez desobstruída a artéria culpada pelo infarto, é possível ‘salvar’ a maior quantidade de células miocárdicas isquêmicas que sofreriam necrose [morte celular] irreversível. Com isso, é possível reduzir as sequelas, que podem ir desde a morte do paciente, a mais indesejada, até a instalação de insuficiência cardíaca e terreno propício ao desenvolvimento de arritmias cardíacas, problemas que podem comprometer a qualidade de vida do paciente acometido”, esclarece.

Mudança necessária

Após a recuperação, é importante que a pessoa tome a consciência da necessidade de mudar alguns hábitos. Buscar uma alimentação saudável e balanceada – com mais frutas e verduras -, ficar atento aos níveis de colesterol, deixar de fumar, caso o paciente seja fumante, e praticar exercícios físicos regularmente após a liberação médica são os principais cuidados que a o indivíduo deve adotar para evitar nova ocorrência de ataque cardíaco.

Abandonar o cigarro é um dos passos fundamentais para uma recuperação completa. FOTO: Reprodução

Fique atento!

Os principais sintomas do ataque cardíaco se caracterizam por desconforto e/ou dor torácica mal localizada, podendo ser repentino e constante no meio do peito. Existe a possibilidade de irradiar para várias partes do tórax, costas, pescoço, mandíbula e braços, principalmente a parte interna do esquerdo. Além disso, pode ocasionar a falta de ar, associada à palidez, sudorese e outras formas de dor epigástrica.

Somente este ano, aproximadamente 190 mil pessoas já faleceram devido a problemas cardiovasculares no Brasil, de acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia. O número é crescente: no ano passado, foram cerca de 350 mil, um aumento de 1,39% em relação a 2015 e 65 mil a mais que em 2014.

Texto: Redação Alto Astral | Consultoria: Everton Cardoso Dombeck, cardiologista do Hospital Cardiológico Costantini

LEIA TAMBÉM

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.