ESTILO DE VIDA

Arritmia cardíaca: confira mitos e verdades sobre a doença!

Existem alguns mitos e verdades sobre as arritmias cardíacas, problema pouco conhecido pela maioria das pessoas. Confira mais sobre o assunto!

None
Foto Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 16/12/2016 às 13:03
Atualizado às 16:14

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Arritmias cardíacas são alterações elétricas que provocam modificações no ritmo das batidas do coração. Elas são de vários tipos: taquicardia, quando o coração bate rápido demais; bradicardia, quando as batidas são muito lentas, e casos em que o coração pulsa com irregularidade, sendo sua pior consequência a morte súbita cardíaca (MSC). Para esclarecer mais sobre o assunto, a Sociedade Brasileiro de Arritmias Cardíacas apresenta alguns mitos e verdade acerca do problema.

ilustração de um coração em forma de bomba

Foto Shutterstock.com

Arritmias cardíacas são alterações que ocorrem na geração ou na condução do estímulo elétrico e provocam modificações do ritmo cardíaco.

VERDADE! A frequência e o ritmo do coração variam ao longo de um dia conforme a necessidade de oxigênio do organismo, já que a função desse órgão é bombear o sangue oxigenado pelos pulmões para todas as células do corpo. Quando há alterações na frequência e no ritmo cardíaco, é constatada uma arritmia cardíaca.

casal de idosos correndo

Foto Shutterstock.com

Somente indivíduos idosos têm arritmias cardíacas e podem sofrer morte súbita.

MITO! A maioria das vítimas de morte súbita se encontra em sua idade mais produtiva. Esses males podem ocorrer em qualquer faixa etária, mesmo em recém-nascidos. A maior porcentagem de ocorrência está em pessoas que possuem doenças cardíacas ou já sofreram parada cardíaca, bem como naqueles que têm histórico de doenças na família (pais, irmãos etc.)

A morte súbita pode ser evitada.

VERDADE! A morte súbita não é inevitável, sendo reversível em muitas vítimas, se tratada rapidamente com um choque elétrico aplicado no peito. Poucas tentativas de ressuscitação são bem-sucedidas após 10 minutos e, a partir de três minutos, o cérebro já começa a sofrer danos. Por isso, o socorro e atendimento devem ser rápidos.

mulher correndo

Foto Shutterstock.com

Tenho arritmia cardíaca, portanto não posso praticar atividades físicas.

MITO! Atualmente são tão modernos os recursos da medicina que, mesmo tendo um problema cardíaco, o paciente poderá se exercitar. No entanto, apenas o médico será capaz de definir o tipo de exercício a ser realizado.

A arritmia cardíaca pode ser tratada de diversas maneiras.

VERDADE! Os tipos de tratamentos são: medicamentoso, ablação por cateter ou por implante de dispositivos Cardíacos Eletrônicos Implantáveis (DCEI), como Marca-passo (MP), Cadioversor Desfibrilador Implantável (CDI) ou Ressincronizador.

Leia também:

O coração pode voltar ao seu ritmo normal.

VERDADE! A maior parte das arritmias cardíacas pode ser revertidas através de métodos invasivos ou simples mudanças de hábitos. Mas, para isso, é preciso um acompanhamento criterioso com um profissional em arritmia, que vai orientar o paciente sobre o melhor método de tratamento para o seu caso.

Fonte:  Sociedade Brasileiro de Arritmias Cardíacas (SOBRAC)