Acabe com o inchaço e melhore a digestão com água de coco!

Entenda como a água de coco pode dar uma ajudinha na hora de deixar o corpo em forma, ajudando na digestão e eliminando o inchaço

None
Foto: iStock

por Redação Alto Astral
Publicado em 05/01/2017 às 13:02
Atualizado às 13:01

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

O edema, que é a retenção de líquidos no corpo todo ou em determinada região dele, popularmente conhecido como inchaço, consiste em uma das maiores preocupações para quem quer se manter saudável. O mais comum é o inchaço ser localizado, ocorrendo em regiões específicas como pernas e mãos.

Em geral, é causado pela concentração excessiva de água e de sal no espaço entre os tecidos e os vasos sanguíneos, mas pode ser provocado, também, por desordens no sistema linfático, por problemas nos fígados, rins ou coração, doenças na tireoide, reações alérgicas e até mesmo por alguns medicamentos que afetam a permeabilidade dos vasos no sangue.

água de coco

Foto: iStock.com/GettyImages

Desinche já!

A água de coco aparece como uma interessante aliada na hora de afastar o inchaço, pois, indiretamente, as vantagens que ela traz ao organismo auxiliam no processo de eliminação dos edemas. “A água de coco é um alimento diurético, ajudando, dessa forma, a eliminar o inchaço”, relata a nutricionista Andrea Stingelin Forlenza.

“Ao consumir a água de coco, hidratamos o nosso corpo, o que aumenta a liberação de líquidos”, aponta o também nutricionista Bruno Yamada. “Assim, eliminando mais líquidos, eliminamos também mais eletrólitos, sendo um deles o sódio, que, em grande quantidade, é uma substância que pode reter líquidos no organismo e causar o inchaço”, diz. Portanto, a água de coco colabora para a expulsão dos líquidos do nosso corpo, mas devemos tomar cuidado ao confundir isso com perda de peso. “Quanto ao processo de emagrecimento, uma coisa é perder peso na balança, e outra, bem diferente, é emagrecer (perder gordura)”, indica Bruno.

“Considerar os líquidos como fator determinante para o emagrecimento não está correto, pois a maior variação de peso neste caso pode ser considerada como uma variação de hidratação, ou seja, se o corpo está com muito ou com pouco líquido”, esclarece o profissional.

Digestão e rins

Além de ter sua função anti-inchaço, a água de coco possui outras características que auxiliam para deixar o corpo funcionando perfeitamente. De acordo com a nutricionista Pérola Ribaldo, “a água de coco contém uma pequena quantidade de fibras, que é capaz de auxiliar na digestão”, diz.

“Além do mais, ela melhora a sensação de saciedade, por isso, pode ser usada naquela ‘fominha’ fora de hora”. Já em relação ao funcionamento dos rins, Pérola alerta que a água de coco pode funcionar tanto como ‘mocinha’ quanto como ‘vila’ – depende do caso em que é aplicada. Tudo porque, quando estão funcionando corretamente, os rins possuem a função de excretar substâncias não desejáveis e filtrar aquelas que auxiliam em nosso metabolismo.

Porém, em alguns casos, eles não conseguem realizar essa tarefa, gerando as insuficiências – como alternativa, em muitos casos, é preciso que ocorra a diálise, que é o processo de filtração dos rins realizado artificialmente. É aí que a água de coco pode entrar na jogada e ser de grande valia. “Em casos de portadores de insuficiência renal crônica que já se encontram em diálise, a ingestão de líquidos no geral é bem restrita a fim de evitar os edemas”, conta Pérola.

Assim, esses pacientes acabam carecendo de minerais e sofrendo, por conta dessa falta, alguns sintomas como a câimbra. “A água de coco se torna uma excelente alternativa de líquido, uma vez que, em pequenos volumes, fornece boa quantidade de minerais, agindo como um repositor”. Porém, a profissional faz um alerta bastante importante. “Em pacientes que não estão em diálise, a água de coco representa um risco ao bom trabalho dos rins, uma vez que a alta quantidade de sais pode sobrecarregá-los e prejudicar ainda mais seu funcionamento”, finaliza.

Consultoria: Andrea Stingelin Forlenza, nutricionista; Bruno Yamada, nutricionista; Pérola Ribaldo, nutricionista
Texto: Victor Santos

LEIA TAMBÉM:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.