ENTRETENIMENTO

Dia da Mulher: Confira uma seleção de livros necessários e impactantes

Veja livros importantes que devem ser incluídos em sua estante

Livros essenciais para ler este ano
Livros essenciais para ler este ano - Reprodução / Astral Cultural

por Daniela Orlandi
Publicado em 07/03/2021 às 11:00
Atualizado às 11:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Os livros são um pilar fundamental da construção identitária do "eu", além de agregar novos conhecimentos. Conheça novas leituras necessárias que vão te fazer pensar sobre a vivência da mulher na sociedade de hoje, através de vozes plurais e potentes.

Mulheres Incríveis 

Mulheres Incríveis
Reprodução / Astral Cultural

Escrito por Kate Schatz, o livro apresenta 44 perfis de mulheres extraordinárias, em uma coleção de histórias que começa em 430 a.C e alcança os dias de hoje.

Da Mesopotâmia até a Antarctica, Mulheres Incríveis conta a história de vida de jovens e adultas transgressoras, que subverteram leis, lutaram por menos desigualdade entre gêneros e ajudaram a construir um futuro melhor para todos.

Pirata, espiã, presidenta, guerreira em ação, grande pintora ou na maior jogadora de futebol de sua época, são essas algumas das personalidades singulares que aparecem.

Maya Angelou - Poesia Completa

Maya Angelou - Poesia Completa
Reprodução / Astral Cultural

Através de sua ilustre carreira na Literatura, Maya Angelou presenteou, curou e inspirou o mundo com suas palavras.

Neste volume, todas as suas frases poéticas, todos os seus versos comoventes podem ser encontrados, de suas reflexões sobre a vida afro-americana à celebração revolucionária da condição da mulher negra.

Uma coleção completa e atemporal, que aquecerá os corações das mais ardentes admiradoras da Maya Angelou assim como introduzirá novos leitoras à poeta legendária, ativista e professora - uma mulher extraordinária para a atualidade. 

Por Todas Nós

Por Todas Nós
Reprodução / Astral Cultural

Uma produção da influencer Ellora Haonne, que se despe de qualquer paradigma que você já leu antes e compartilha seus medos e suas experiências sobre ser mulher.

A obra surge como um ombro amigo e solidário, mostrando que não estamos sozinhas em nossos sofrimentos diários e precisamos questionar tudo aquilo que a sociedade impõe – sem julgamentos nem padrões preconcebidos.

Através de conselhos que nunca deram a ela e pronta para lutar por aquilo que acredita, a autora fala sobre a incompletude vivida pelas mulheres e dificuldade em aceitar-se em seus desejos, corpos e escolhas.

Vozes Femininas

Vozes Femininas
Reprodução / Astral Cultural

Escrito como forma de conhecer personalidades femininas e trazer inspiração e motivações para novas gerações de mulheres, a obra faz uma interessante abordagem ao entrevistar quarenta mulheres e lhes perguntar sobre suas histórias, ideias, experiências, traumas, aspirações, família, etc.

Ao dar-lhes espaço e voz, Zoë Sallis reúne várias daquelas que, por muitas vezes, foram silenciadas em uma sociedade machista e patriarcal, porém, não desistiram e marcaram seus nomes de alguma maneira. Algumas já são personalidades conhecidas na mídia, outras, não.

Instigando a leitora a refletir sobre o quanto o mundo e os recortes sociais são diferentes para cada uma, convida-a a pensar quais seriam suas respostas e o quão significativas elas seriam para as próximas gerações. Mais do que agir, é preciso ouvir para não perpetuar erros do passado.

Feminismo Pra Quem?

Feminismo Pra Quem?
Reprodução / Astral Cultural

Com um poderoso prefácio, escrito por Anielle Franco, diretora do Instituto Marielle Franco, que nos faz refletir sobre as diferentes lutas dentro de um único movimento. A autora, Daniela Brum, aborda diversos assunto e problemáticas do feminismo.

Passando por várias camadas e temas, como o "feminismo de telão" e o quanto a mídia está em prol de capitalizar pautas, levando-as ao esvaziamento, provoca a reflexão de até que ponto estamos dentro do movimento feminista e se realmente fazemos a diferença.

A autora dá enfoque sempre na importância do quanto o feminismo precisa atingir as mais diversas camadas, tornando-se realmente abrangente e para todas, sobretudo nos tempos de redes sociais. Mais do que reflexões, ela também retrata vivências e compartilha suas experiências como feminista, mãe e lutas que ainda precisamos vencer.

Eu Sei Por Que o Pássaro Cantou na Gaiola

Eu Sei Por Que o Pássaro Cantou na Gaiola
Reprodução / Astral Cultural

Nesta outra produção de Maya Angelou, a autora retrata por meio da ficção a vida Marguerite Ann Johnson, colocando em pauta suas próprias descobertas e lembranças dolorosas. 

A protagonista, uma garota negra, criada no sul dos EUA por sua avó paterna, carrega consigo um enorme fardo. Seu único alívio vem pela literatura e por tudo aquilo que ela pôde lhe trazer: conforto através das palavras

Com uma escrita poética e poderosa, a obra toca, emociona e transforma profundamente o espírito e o pensamento de quem a lê, eternizando em sua densidade uma voz necessária e importante sobre racismo, abuso e libertação.

Sapatos Vermelhos São de Puta

Sapatos Vermelhos São de Puta
Reprodução / Astral Cultural

Com um título provocador e que pode soar até mesmo um tanto quanto perturbador para alguns, Jorgelina Albano faz um convite para aqueles que ousarem passar por suas páginas.

Assumindo e mostrando que é preciso questionar crenças arraigadas culturalmente e começar a pensar de maneira diferente, a obra incita aquela que a lê não apenas a desafiar o patriarcado para alcançar a equidade como também a refinar a visão para rever perspectivas.

E, a partir dessas ruínas, construir o novo, destacando, mais uma vez, que só se é possível transformar o mundo se algumas convicções absolutas forem quebradas de uma vez por todas.