ENTRETENIMENTO

Como o cérebro trabalha para tomar decisões

Já parou para pensar por que você toma certas decisões ao invés de outras? Entenda o que se passa no seu cérebro nesse momento

None
Foto: Shutterstock Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 26/07/2016 às 19:28
Atualizado às 15:58

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Tomar decisões pode ser um grande desafio para muita gente. Contudo, esse processo é algo que realizamos com grande frequência e, às vezes, nem nos damos conta. Mas já parou para pensar o que há por trás de nossas tomadas de ações? O que pode ajudar e o que mais atrapalha? E quais são os melhores caminhos para fazer escolhas melhores?

Decisões que passam pelo cérebro

Para tentar descobrir o que está por trás de nossas escolhas e o que as influencia, os neurocientistas já andaram investigando nosso cérebro. Por exemplo, alguns estudos apontam que esses processos acontecem na área do lóbulo central, localizada acima dos olhos. “Toda a área do neocórtex acaba participando do processo de decisão, o que implica numa complexidade de fatores”, indica Aristides Brito, especialista em marketing com pós-graduação em neuropsicologia e filiado à Sociedade Brasileira de Neurociência e Comportamento.

Saiba como seu cérebro influencia na hora de tomar decisões

FOTO: iStock.com/Getty Images

Aristides lembra que, embora haja áreas mais utilizadas no cérebro, elas não são exclusivas, pois o processo do pensamento e do raciocínio envolve todas as partes do órgão. Além disso, mesmo que o lóbulo frontal seja responsável por habilidades cognitivas complexas, o sistema límbico, responsável pelas emoções, também participa nos processos de decisão.

O papel da amígdala

Carolina Welger, psicóloga e especialista em tomadas de decisões, ressalta a atuação da amígdala, uma região do cérebro que faz parte do sistema límbico: “A amígdala está envolvida nos processos afetivos, que acaba por avaliar os ganhos e consequências das escolhas”.

Assim, analisando essas questões neurológicas, começamos a identificar algumas pistas para seu cérebro tomar boas decisões: avaliar pontos positivos e desdobramentos de suas ações é uma das chaves desse processo.

Leia mais!

Mindfulness: meditação contra estresse e ansiedade

Preconceito aumenta em quatro vezes o risco de ansiedade

Consultorias: Aristides Brito, especialista em marketing e pós graduado em neuropsicologia. Diretor da Impacto Mais Comunicação Inteligente e filiado à Sociedade Brasileira de Neurociência e Comportamento; Carolina Walger, psicóloga, mestre em administração e especialista em tomada de decisões.

Texto e entrevistas: Ricardo Piccinato – Edição: Victor Santos