COMPORTAMENTO

Carla e Arthur: saiba abrir os olhos de uma amiga sobre um boy lixo

Conhece alguém que assim como Carla precisa de um ombro amigo? Confira as dicas para ajudar!

Carla ajoelhando para Arthur após ela voltar do paredão falso no BBB21
Carla ajoelhando para Arthur após ela voltar do paredão falso no BBB21 - Reprodução / Globoplay

por Baárbara Martinez
Publicado em 17/03/2021 às 18:02
Atualizado às 18:02

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

É claro que os relacionamentos são da conta dos envolvidos, mas há casos em que aconselhar uma das pessoas faz parte, principalmente se é a sua amiga que está sofrendo por atitudes cometidas por um boy lixo.

No Big Brother Brasil 21, o relacionamento entre Carla Diaz e Arthur vem sendo bastante criticado, dentro e fora da casa. Tudo porque o comportamento do crossfiteiro, tachado como "moleque" e "infantil", não condiz com uma relação saudável.

No início da relação não é fácil para a vítima identificar o que está acontecendo. Porque o abusador só vai mostrar a sua verdadeira personalidade ao longo do tempo, quando a pessoa já estiver envolvida e apaixonada.

"Primeiro o abusador seduz, conquista e depois passa a ter um comportamento controlador, a ponto da mulher se anular por completo, agir e fazer apenas o que ele quer e como ele quer. Com isso, a vítima vai perdendo a sua própria identidade", afirma Marilene Kehdi, psicóloga. 

Neste caso, é importante a ajuda de uma pessoa próxima para a vítima se reerguer, por isso, saiba como intervir:

Fazer ela entender que está em um relacionamento abusivo

As vítimas em sua grande maioria sofrem de dependência emocional. Dependem de um vínculo. "Neste caso, é importante que pessoas próximas, de confiança, apontem, conversem sobre o tipo de relação que ela está envolvida e a ajudem, incentivem a refletir e buscar apoio da sua família para conseguir romper e sair dessa relação", aconselha a profissional.

Aponte os fatos

Quanto mais a pessoa fica em um relacionamento desses mais vulnerável e confusa se torna. "Vive uma percepção distorcida da sua realidade, acha que o abusador quer o bem dela. E que ela é que está errada. Neste momento, apontar os fatos é extremamente necessário".

Ajuda psicológica

Também é importante buscar ajuda de um psicólogo para resgatar sua autoestima, auto confiança, tratar e se curar da dependência emocional. Como orienta Marliene: "Sem ajuda dificilmente as vítimas conseguem romper ssa relação, e isso acontece por vários motivos, entre eles: amor, acreditar que haverá uma mudança no comportamento do abusador,  medo, vergonha, dependência financeira, por não receber apoio da família, por não acreditar que consiga ter outro relacionamento".

Consultoria: Marilene Kehdi, psicóloga e especialista em atendimento clínico