Importância de saber um terceiro idioma

Nem sempre o inglês é suficiente para se dar bem no mercado de trabalho. Entenda a necessidade de conhecer um idioma diferente

None
FOTO: Shutterstock.com e Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 03/05/2017 às 17:34
Atualizado às 17:34

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Hoje, saber inglês é tão essencial que a simples ausência de conhecimentos sobre o idioma pode ser critério de eliminação em processos seletivos de empregos. A língua inglesa, aliás, deixou de ser diferencial. Agora, caso você queira se destacar no mercado de trabalho, é preciso ter conhecimento de outras línguas. A simples compreensão de uma nova linguagem pode ajudar no mercado de trabalho.

Algumas profissões, aliás, tem tornado a compreensão de uma terceira língua (além do português e do inglês) uma exigência. É o caso de profissões nas áreas de economia, secretariado e negócios internacionais. Mas se o mundo está cada vez mais globalizado e todos no mercado de trabalho internacional sabem o inglês, qual a necessidade de se falar outro idioma?

Acaba sendo uma questão de cortesia entre as empresas. Ao enviar para negociações internacionais um profissional que fale a língua materna dos parceiros, demonstra-se uma boa vontade para se fechar o negócio.

Mais populares

No mercado atual, as línguas mais procuradas como terceiro idioma são, em geral, aquelas faladas em grandes centros industriais e comerciais globais. Dessa forma, o mandarim, língua mais falada na China, é um grande destaque. Com o mercado chinês rivalizando o americano e muito superior a qualquer outro no mundo, as empresas procuram cada vez mais pessoas capazes de se comunicar nessa complicada língua.

Para quem quer aprender uma língua que não precisa da compreensão de um novo alfabeto, uma excelente opção é o alemão. Sendo o principal centro comercial da Europa a não falar inglês, a Alemanha se torna um parceiro essencial para muitas empresas nos ramos de engenharia e construção. Ainda no continente europeu, podemos citar o francês como uma língua opcional mais simples.

Para empresas focadas em negócios dentro da América Latina, a língua mais procurada é o espanhol, falado por todos os países da região, exceto pelo nosso. Por se tratar de uma língua falada em um longo espaço geográfico, acaba tendo um grande número de variedades, o que faz estudá-la ser mais complicado do que uma primeira avaliação possa indicar.

LEIA TAMBÉM:

Vivendo e aprendendo

É preciso imersão e experiência para que o espanhol seja corretamente pronunciado, de forma a agradar os parceiros dos diferentes países latinos. A dica da imersão, aliás, é boa para o estudo de todos os idiomas citados. Afinal de contas, cursos podem servir para um conhecimento formal, mas sem assistir filmes, ler livros ou consumir cultura na língua que estamos estudando dificilmente passamos a falar de forma mais fluente e menos artificial.

TEXTO: Redação / EDIÇÃO: Rafael Guimarães

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.