Santa Catarina de Gênova: inspire-se na vida da santa

Conheça a história e a oração de Santa Catarina de Gênova. Inspire-se na trajetória da santa e mude também a sua vida para melhor!

None
Foto: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 01/03/2017 às 12:14
Atualizado às 12:45

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Santa Catarina de Gênova possui uma bela história de conversão e é exemplo de uma vida de oração. Seu dia é comemorado em 22 de março. Conheça sua caminhada para a santidade e inspire-se a viver junto de Cristo:

uma imagem com uma bíblia aberta com um terço verde e rosas cor-de-rosa em cima

Foto: Shutterstock

História

Santa Catarina de Gênova é considerada a santa do puro amor, protetora das esposas com problemas e dos casamentos com dificuldades.

A santa nasceu em Gênova, no ano de 1447. Ficou órfã do pai muito cedo e recebeu uma educação cristã muito forte de sua mãe. Aos 16 anos foi prometida em casamento a Giuliano Adorno. Devido ao caráter difícil do seu esposo, Catarina viveu anos de tormento durante os primeiros anos do seu casamento.

Conversão

Conta-se que, em 20 de março de 1473, a santa foi à Igreja de de São Bento e ao Mosteiro de Nossa Senhora das Graças e confessou-se para um sacerdote. Durante a confissão, Deus tocou o coração da moça e seu processo de conversão se iniciou. Ela superou sua crise pessoal, depois de ter uma visão de Cristo e, a partir desse momento, dedicou-se à caridade alheia. Conseguiu converter o marido, tornando-o um membro da Ordem Terceira de São Francisco, e ele concordou em viver com ela como irmãos. Os dois foram trabalhar para o hospital de Pammetone, onde, consta a lenda, Catarina curava os doentes apenas com as suas orações e bênçãos.

uma imagem de Santa Catarina de Gênova

Foto: Divulgação

Oração a Santa Catarina de Gênova

“Deus, nosso Pai, nós vos pedimos por aqueles que estão enfermos, especialmente nossos parentes, amigos e conhecidos. Por aqueles que no sofrimento sentem-se abandonados e carregam a cruz sozinhos em meio à dor e ao desespero. Sejamos misericordiosos e compassivos para juntos sofrermos e suplicarmos a vós força e aceitação do mistério da dor. Neste momento de paixão e morte, nos console a esperança da ressurreição já aqui e agora. Ressurreição que é acreditar que em vós vivemos, somos e nos movemos; que a morte não tem poder sobre os que em vós esperam!”

LEIA TAMBÉM

Fonte: Canção Nova 

Edição: Ariane Frassato/Colaboradora | Design: Deicimar Dias