Desemprego, drogas e desarmonia: resolva com conselhos do Padre Marcelo

Precisando de uma luz para algum problema do dia a dia? Ouça os conselhos do Padre Marcelo Rossi e coloque sua vida nos eixos mais uma vez!

None
Foto: Divulgação

por Redação Alto Astral
Publicado em 22/02/2017 às 13:03
Atualizado às 11:47

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

A vida e a correira do dia a dia podem nos trazer testes de fogo e, às vezes, não temos cabeça para lidar com situações complicadas. Para isso, podemos contar com os conselhos do Padre Marcelo, que tem palavras abençoadas para contextos desagradáveis, confira!

Foto do Padre Marcelo com fundo personalizado azul

Foto: Reprodução

Desemprego

Um dos maiores problemas da atualidade é a falta de trabalho, que atinge mais 12 milhões de brasileiros. Sobre isso, o Padre Marcelo aconselhou seus fiéis que esse momento é apenas uma fase.

“Depois da tempestade, vem a bonança. Por isso que eu sempre digo às pessoas que estão desempregadas e necessitadas de dinheiro, que entendam que aquele é um período que vai passar. Que elas não percam a paciência e não desanimem, até na busca de emprego.

Eu digo muito para os desempregados, que se vão procurar emprego sentindo-se derrotados, é claro que não serão selecionados. Ninguém quer um derrotado na equipe. Mas se a pessoa vai com confiança (e não com prepotência), com esperança em Deus, com certeza ela vai ser considerada como um profissional que pode ser contratado.”

Família contra as drogas

Os jovens vem tendo contato com as drogas cada vez mais cedo. O maior desafio dos pais é como alertar seus filhos a se manterem longe desse mal. Marcelo Rossi ressalta que a conversa entre a família tem que existir e ensiná-los a se aproximar da fé são algumas dicas para não passar por essa situação.

“Primeiro, o diálogo. Os pais precisam manter um superdiálogo com os filhos. E investir na fé e na formação religiosa dos filhos. Um jovem só encontra a droga por influência dos amigos. Então, se o seu filho não tiver firmeza, ele pode acabar sucumbindo. Seu filho precisa ter bem claro na cabeça dele que careta é quem usa drogas, que acaba se destruindo.

Minha mãe fez isso comigo. Ela sentou comigo e me explicou que talvez esse tipo de coisa pudesse acontecer comigo. Muitas vezes os pais não conversam com os filhos, se afastam. E na família que não há diálogo, existe uma porta aberta para as drogas. E um recado para as mães: quando vocês começarem a perceber coisas sumindo de casa, alterações de humor… sente com seu filho o mais breve possível.

E busque ajuda, não queira esconder isso dos outros. Essa é a hora de buscar a ajuda de quem entende e tentar salvar o seu filho enquanto é tempo. Porque depois que as drogas dominam a pessoa por completo, fica difícil livrar-se delas.”

Briga entre casal

A desarmonia entre marido e mulher pode acontecer com o passar do tempo de relacionamento. o padre explica que uma relação, seja de casamento ou namoro, é como uma planta e também que a troca de amor é essencial para uma paixão duradoura.

“A primeira coisa que eu pergunto aos casais e principalmente às esposas é: ‘Quem disse eu te amo para o seu marido, hoje?’. E a gente se surpreende, porque muitos casais deixam de dizer ‘eu te amo’ com o passar do tempo. Uma expressão tão curtinha, mas como é fundamental dizer ‘eu te amo, você é importante para mim!’.

O casamento é uma conquista diária, é como uma plantinha. Se você não regar, ela morre. Se você quer viver um relacionamento duradouro, tem que cultivar o hábito de dizer eu te amo. Lógico que vai ter brigas, é normal que aconteçam desentendimentos. Mas se há essa troca de amor, o sentimento não morre. Do contrário, vai esfriando, esfriando, esfriando… e acaba.”

“Amai-vos uns aos outros como eu vos amei”

As relações pessoais no século XXI andam cada dia mais distantes e intermediadas por smartphones, notebooks ou tablets. Para melhorar o contato humano, o Padre disse que a primeira coisa a se fazer, é amar a si mesmo.

“Deus ensinou que devemos amar a Deus como todas as coisas, e amar ao próximo como a nós mesmos. Mas muitas pessoas não amam a si mesmas, então como podem amar ao próximo? As pessoas estão tão carentes que não se valorizam. Mas a partir do momento que você compreende que Deus te ama, você começa a amar o próximo.”

LEIA TAMBÉM

Entrevista: Paula Penedo/Colaboradora

Edição: Rafael Barbosa/Colaborador | Design: Gabriel Andrade/Colaborador

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.