Glória Menezes deixa hospital em São Paulo nesta segunda-feira (16)

A atriz de 86 anos foi internada no dia 6 de agosto após testar positivo para Covid-19

Glória Menezes foi diagnosticada com Covid-19 no início do mês
Glória Menezes foi diagnosticada com Covid-19 no início do mês - Reprodução / Instagram (@gloriamenezesoficial)

por Giovana Meneguin
Publicado em 16/08/2021 às 11:30
Atualizado às 11:30

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

De acordo com informações confirmadas ao UOL pela assessoria de imprensa da atriz Glória Menezes, de 86 anos, ela receberá alta médica nesta segunda-feira (16).

A atriz foi internada com o marido, o também ator Tarcísio Meira, no hospital Albert Einstein, zona Sul de São Paulo, no dia 6 de agosto, após ambos terem sido diagnosticados com Covid-19.

Contudo, Tarcísio não resistiu à doença e faleceu na última quinta-feira (12), aos 85 anos.

Em entrevista ao Fantástico neste domingo (15), Tarcísio Filho, fruto do relacionamento do casal de artistas, falou sobre a morte do pai e a situação da mãe.

"Ele [Tarcísio Meira] já tinha problemas renais, pulmonares. Eu falava muito com ele sobre isso, era importante ter cuidado. Mesmo com a vacina, ele deveria ter extremo cuidado. Minha mãe está bem por conta da vacina. Isso aconteceu em algum descuido, uma 'guarda baixa'. Uma ida ao médico que era necessário por serem pessoas idosas. Foi uma surpresa. Nunca saberemos onde foi", disse.

"Eu não sei dizer como tive força. Sabia que seria uma das missões mais dolorosas da minha vida, eu me preocupava com a reação dela. Ela está frágil, passando pelo pior momento de sua vida. Mas ela não se nega a viver e chora quando precisar. Ela não tem barreiras com os sentimentos. Depois de tudo o que aconteceu, a família inteira procura ficar com ela", desabafou.

Vacinas

Tarcísio Meira e Glória Menezes receberam a segunda dose da vacina contra a Covid-19 em março deste ano, na cidade de Porto Feliz, interior de São Paulo. E embora as vacinas sejam, sim, eficases no controle de doenças e reduzirem o risco de infecção, não são infalíveis e, portanto, não proporcionam 100% de proteção.

Dessa forma, mesmo com a vacinação avançando cada vez mais no Brasil, é necessário manter as medidas de segurança adotadas desde o ano passado por conta da pandemia, como o distanciamento social, uso de máscaras de proteção, álcool em gel e higienização das mãos com água e sabão.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.