Cuidados para evitar afogamentos em rios e praias

O caso do desaparecimento do ator Domingos Montagner no Rio São Francisco chamou atenção, mas você sabe o que fazer nesse casos? Separamos algumas dicas

afogamento, como se livrar, pedas e rios
Por Denis Lira - 15/09/2016

FOTO: Reprodução

A morte do Domingos Montagner na quinta (15.09) levantou a questão da segurança na hora de tomar um banho em praias e rios. Você sabe o que fazer em uma eventualidade e não correr o risco de se afogar? Verifique os fatores que contribuem para esse tipo de ocorrência:

Correntes de retorno: São formadas pelo retorno da massa d’água que é empilhada pelas ondas contra a praia, transportando sedimentos, e, eventualmente, banhistas, para longe da praia, em direção ao mar aberto. O banhista é puxado para mar adentro. Esse é mais para o caso de praias.

Depressões no fundo: São verdadeiros buracos produzidos pela ação das ondas e pelo movimento das correntes de água, podendo ocorrer nas praias e rios.

afogamento, como se livrar, pedas e rios

FOTO: Reprodução

Impacto da água: Mesmo em rios, a água se movimenta e tem correntes, às vezes, essas correntes podem ser fortes o suficiente para dar ‘um caldo’ nos banhistas e empurrando-o sem controle. A pessoa acaba bebendo água e como consequência pode se afogar.
Ingestão de Bebida Alcoólica: Alcoolizado, o banhista irá enfrentar dificuldades até mesmo nas partes mais rasas.

afogamento, como se livrar, pedas e rios

FOTO: Reprodução

Temos algumas dicas de segurança de como proceder para evitar acidentes:

– Crianças jamais devem ficar sem supervisão de adultos.
– Não entrar no mar comer em demasia pode causar congestão, evite.
– Nunca entrar na água sozinho, mesmo que seja adulto, pois nunca se sabe se algo no fundo da água não irá prendê-lo.
– Nadar sempre paralelo à margem, e procurar nunca perder a vista da mesma.
– Evitar tomar banho onde tiver valas ou buracos.
– Se não souber nadar, não entre no mar ou lagoa.
– Evitar entradas bruscas na água após longa exposição solar. O risco de choque térmico e desmaio são grandes.
– Se você não tem experiência em nadar, não confie em boias, objetos flutuantes, pranchinhas: eles transmitem uma falsa segurança.
– Mantenha-se afastado das costeiras e pedras: você pode escorregar.

Vigilância redobrada nunca é demais, então, sempre siga os passos e mantenha-se alerta para possíveis indícios antes de cair na água para se refrescar.

 

LEIA MAIS: