Terapias de frio e calor contra as dores: saiba como utilizá-las

É possível reduzir as dores e as inflamações com terapias de frio e calor. Porém, há situações específicas de uso para tais tipos de tratamento, dependendo do local, do tempo e da causa da dor em questão. Saiba de que maneira cada uma delas age e afaste as dores!

None
Foto: Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 20/12/2017 às 13:00
Atualizado às 13:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Muito incômodas para o nosso dia a dia, as dores causadas pelas inflamações e pancadas acabam atrapalhando todas as atividades. Por isso, muitos profissionais sugerem o uso de compressas com a função de aliviar essas dores presentes no organismo. Mas afinal, qual compressa usar? A quente ou a fria? Pensando nisso, o fisioterapeuta Regis Severo explica que há uma regra básica antes de iniciar qualquer aplicação.

“Enquanto houver sinais inflamatórios agudos como dor, inchaço, febre local, vermelhidão ou hematomas e perda de movimento, utiliza-se o frio. O calor, por sua vez, deve ser reservado para lesões crônicas, aquelas que estão presentes há mais tempo e que, em geral, manifestam-se apenas pela dor e dificuldade de movimento.”

Saiba como utilizar as terapias de frio e calor contra as dores!

Pancadas, dores de dente e prática de exercícios

O principal mecanismo de atuação do gelo é contrair os vasos sanguíneos do local em que é aplicado. Dessa forma, a sensação é de um efeito anestésico, com menor fluxo de sangue e redução do inchaço e da inflamação. Ideal para traumas que são provocados por pancadas.

Nessas situações, é comum que vasos sanguíneos e linfáticos se rompam, formando hematomas e edemas. É aí que a compressa gelada pode ajudar. Quando utilizada logo após o impacto, ela é capaz de conter o inchaço e minimizar a dor, já que o gelo reduz a sensibilidade local e a dor.

O tempo de aplicação recomendado é de aproximadamente 20 minutos, ou de acordo com a orientação do profissional de saúde. Pausas de, no mínimo, 30 minutos entre as aplicações também são aconselhadas para não machucar a pele.

 Pré-treino, dores nas costas, torcicolo e cólicas

Segundo Regis, o aquecimento aumenta a circulação e deixa toda a musculatura mais relaxada e alongada. Agindo justamente ao contrário da compressa fria, o calor dilata vasos sanguíneos.

Com o aumento de fluxo de sangue, a região se recupera mais rápido e as tensões musculares diminuem, consequentemente reduzindo a dor. Talvez a mais comum delas seja a cólica. Há gerações, a conhecida bolsa de água quente ajuda mulheres no período menstrual, uma vez que reduz a tensão nos músculos do ventre.

A terapia de calor também requer cuidados como: não exagerar na temperatura da água para não causar queimaduras na pele e não utilizá-la por tempo prolongado, respeitando os intervalos determinados pelo profissional de saúde.

Terapias de frio e calor unidas

Dependendo da situação, a técnica mais indicada não é nem com gelo, nem com água quente, mas combinar os benefícios das terapias de frio e calor.

Chamada de terapia contraste, este tipo de aplicação alterna as compressas para gerar uma sequência de contração e dilatação de vasos sanguíneos, o que faz o sangue circular melhor pela região. A aplicação é mais indicada em casos de distensões musculares, inflamações e alguns tipos de dor de cabeça.

LEIA TAMBÉM

Texto: Redação Alto Astral – Edição: Giovane Rocha

Consultoria: Regis Severo, fisioterapeuta

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.