ESTILO DE VIDA

Lesões por esforços repetitivos: o que é, como tratar e diagnóstico

As lesões por esforços repetitivos são uma síndrome que causa dores e desconfortos por todo o corpo. Saiba como tratá-la e reconhecer os sinais!

None
As lesões por esforços repetitivos atingem, principalmente, os membros superiores. FOTO iStock.com/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 05/11/2017 às 13:22
Atualizado às 16:45

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Quando uma pessoa repete muitas vezes a mesma ação ou faz bastante força na sua execução, pode ser que perceba alguns sinais desagradáveis no corpo, principalmente nas membros superiores. Essa quadro deve ser investigado por um profissional qualificado, pois pode ser resultado das chamadas lesões por esforços repetitivos (LER).

Afinal, o que são as lesões por esforços repetitivos?

Para quem acredita que esse problema é uma doença, está ligeiramente enganado. Na verdade, as lesões por esforços repetitivos são uma síndrome que engloba uma série de doenças diferentes, como tendinite, mialgias, bursite e síndrome do túnel do carpo.

Para detectar esse problema, é preciso procurar um médico especialista, pois o diagnóstico é bastante clínico. Além disso, o essencial é que a causa principal que desencadeia os sintomas seja identificada, a fim de que o profissional consiga eleger o melhor tratamento, que pode incluir a administração de anti-inflamatórios e repouso das estruturas musculoesqueléticas comprometidas (em casos mais graves, a utilização de corticoides, a realização de fisioterapia e, inclusive, a intervenção cirúrgica são recursos aconselhados).

Sessões de fisioterapia podem ajudar a amenizar as dores da LER.

Sessões de fisioterapia podem ajudar a amenizar as dores da LER. FOTO Reprodução

Sintomas e recomendações

Existem alguns sinais que podem indicar a ocorrência das lesões por esforços repetitivos, tais como cansaço muscular, dor nos membros superiores e dificuldade para movimentá-los, formigamento, alteração da temperatura e da sensibilidade, redução na amplitude do movimento e inflamação. Geralmente, esses sintomas estão relacionados com atividades inadequadas de todo o corpo, como passar muitas horas realizando a mesma ação.

Apesar de causar dores pelo corpo, a síndrome pode ser amenizada com algumas dicas simples. Certificar-se de adequar o seu ambiente de trabalho ao seu corpo, deixando a cadeira na posição correta, por exemplo, é apenas uma das formas de reduzir as chances de desenvolver LER. Além disso, quando estiver trabalhando ou estudando, lembre-se de, a cada hora, pelo menos, levantar-se, andar um pouco e fazer alongamentos.

LEIA TAMBÉM:

TAGS