O estresse pode prejudicar a sua mente: descubra por que

O estresse provocado pela miséria e pela dificuldade em questões de dinheiro e finanças pode complicar o intelecto de uma pessoa. Entenda como isso se dá

None
FOTO: Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 13/09/2016 às 16:16
Atualizado às 11:34

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

O estresse provocado pela miséria e questões envolvendo dinheiro e finanças é mais um fator que prejudica o intelecto, como mostra outro estudo, este publicado em 2013 no periódico Science, com autoria de Jiaying Zhao, professor de psicologia na Universidade de British Columbia, no Canadá.

O estresse pode prejudicar o seu intelecto: descubra por que

FOTO: Shutterstock.com

Estresse financeiro e desenvolvimento intelectual

A pesquisa da universidade canadense dividiu-se em duas etapas: a primeira envolveu 400 pessoas em um shopping center no estado norte-americano de Nova Jérsei e comparou quem ganhava um salário de 70 mil dólares por ano com quem vivia com 20 mil dólares anuais.

Os participantes foram solicitados a resolver problemas como um conserto repentino do carro, cujo custo poderia ser baixo (150 dólares) ou alto (1.500 dólares). Diante do primeiro cenário, ambos os grupos de pesquisados saíram-se bem em testes cognitivos. No entanto, quando lhes foi comunicado que o conserto seria mais caro (situação potencialmente mais estressante), aqueles de menor faixa salarial obtiveram uma performance significativamente pior em testes cognitivos e de inteligência fluida.

A segunda fase do estudo compreendeu 500 trabalhadores braçais de canaviais na Índia, cujos rendimentos variavam muito antes e depois da época de colheita. Em um mesmo teste aplicado sobre eles nesses dois contextos, os resultados foram diferentes – piores durante os períodos de vacas magras. Uma vez que é sabido que o cortisol, hormônio secretado em situações de estresse, prejudica o desempenho cerebral, essa é a explicação mais plausível para o déficit intelectual. É como se as preocupações decorrentes da pobreza já exigissem o suficiente dos neurônios, não sobrando energia para as demais funções.

“O ideal é que tivéssemos tempo e condições financeiras suficientes para dividir de maneira justa o trabalho e o estudo, mas nem sempre é possível conciliar, principalmente se tratando das classes baixas”, alerta a pedagoga Marília Freitas Rossi. “O rendimento cai e o tempo de estudo extraclasse é reduzido, sem contar as preocupações que se multiplicam. Conta-se sempre com o empenho e dedicação, porém, é bem difícil ter uma vida estudantil plena equilibrando-se entre trabalho e estudo. Se não é impossível, também não podemos pegar como base casos isolados como prova de que dá tudo certo sempre”, complementa a profissional.

Leia também:

A pobreza pode atrapalhar o desenvolvimento intelectual?

Fatores que estimulam e atrapalham o desenvolvimento infantil

Texto: Marcelo Ricciardi/Colaborador – Edição: Victor Santos
Consultoria: Marília Freitas Rossi, pedagoga

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.