ESTILO DE VIDA

Diabetes: quais os cuidados na hora de praticar exercícios físicos?

Atividades físicas devem fazer parte da rotina do diabético, porém precisam de uma carga extra de atenção. Confira quais os cuidados necessários!

None
Foto iStock.com/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 22/09/2016 às 20:35
Atualizado às 20:57

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 39% dos adultos ao redor do globo, com idades acima de 18 anos, estavam acima do peso em 2014. A falta de exercícios é responsável pelo risco de desenvolver doenças cardiovasculares, câncer de mama e cólon e diabetes tipo 2. Para quem já possui o diabetes, as atividades tornam-se ainda mais necessárias: “os exercícios, desde que feitos de forma regular e com intensidade moderada, são sempre aliados do diabético, pois diminuem a resistência à ação da insulina”, assinala Silvia Fonseca, nutróloga e personal trainer. Porém, quais são as recomendações para aproveitar os treinos sem afetar o controle da glicemia?

tênis, medidor de glicose e corda

Foto iStock.com/Getty Images

Atividade ideal

Devido ao risco de descontrole na glicemia ser mais frequente em diabéticos, é necessária uma avaliação antes das atividades físicas. Principalmente em casos que o diabetes caminha com hipertensão, obesidade e colesterol alto, por exemplo. “Os exercícios somente não serão indicados quando o diabetes estiver descompensado, o que, na maioria dos casos, pode haver alguma adaptação bem orientada por um profissional especializado”, aponta Patricia Bueno, diretora do Studio Pilates Patricia Bueno. Quando positiva, a atividade física estimula a produção de insulina, em alguns casos de diabetes tipo 2, e proporciona melhora na qualidade de vida do paciente, em ambos os casos. “O ideal é unir uma atividade resistida (musculação, por exemplo) com uma atividade aeróbica”, recomenda a nutróloga Silvia.

Alimentação

Os carboidratos são essenciais para gerar energia suficiente para o treino, porém diabéticos precisam ter um consumo moderado desses nutrientes. Silvia recomenda que antes e depois do exercício o diabético consuma alimentos que promovam uma liberação gradual de energia, como os integrais, para evitar riscos de uma hipoglicemia. Ela ainda destaca: “se necessário, deve-se suplementar carboidrato de lenta absorção durante o exercício. No caso de uma hipoglicemia repentina, o ideal é ingerir algo que eleve rapidamente a glicose plasmática”.

Leia também:

Não puxe muito peso!

Caso não seja feito de acordo, os exercícios físicos podem causar diferentes problemas ao organismo do diabético:
Hipoglicemias ou hiperglicemias: ocorrem quando a dose da medicação não está adequada ou a alimentação não é balanceada. Por isso recomenda-se medir a glicemia antes e depois do exercício. Se a taxa de açúcar no sangue, antes da prática, for inferior a 100mg/dL, deve ser ingerido 15g a 20g de carboidrato de absorção rápida (como, por exemplo, uma tapioca pequena). Em caso de hiperglicemia, em que a taxa é maior que 300mg/dL, é recomendado adiar a atividade.
Neuropatia periférica: devido ao atrito durante as atividades, é necessário que o diabético fique atento a qualquer lesão nos pés. Se isso ocorrer, dê preferencia às atividades sem impacto na região, como natação, bicicleta ou remo.

Consultoria Silvia Fonseca, nutróloga e personal trainer; Patricia Bueno, diretora do Studio Pilates Patricia Bueno