Descubra como sair do ciclo vicioso dos empréstimos

Chega de empréstimos! Confira 4 passos para sair da crise! A chave do sucesso financeiro está na forma que você administra seus gastos.

None
Foto: iStock.com/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 16/05/2016 às 14:00
Atualizado às 13:04

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Reflita se a seguinte situação acontece com você: já é fim de mês e o seu salário acabou faz tempo. Entretanto, as contas continuam chegando e parecem mais caras, afinal parece que deu tudo errado: o celular quebrou e você teve que comprar um novo, a imobiliária avisa que o aluguel da sua casa vai aumentar e ainda tem as prestações atrasadas daquelas calças que você comprou no shopping. Bate um desespero, né? Aí vem aquela ideia: é hora dos empréstimos.

Como parar de depender de empréstimos

Foto: Thinkstock e Getty Images

Para sair do sufoco, a solução normalmente mais fácil de recorrer são os empréstimos. O banco te dá todo o dinheiro que você precisa e você paga com dificuldade as pequenas e eternas prestações.

Mas aí, quando você percebe, mal terminou de pagar um empréstimo e já está precisando de outro. Como se livrar desse ciclo vicioso e saber se o empréstimo é a melhor forma para sair do buraco?

1 – Reorganize seus gastos antes dos empréstimos

O primeiro passo a se tomar antes de fazer um empréstimo é colocar em um papel tudo o que você está gastando no mês. Com o que você precisa realmente gastar? O que é supérfluo? Se você cortar aquilo que não tem necessidade imediata, talvez sobre dinheiro para pagar as contas.

Dinheiro

Thinkstock

Você pode estar gastando dinheiro com um serviço que nem usa por completo e tirando dinheiro de contas mais essenciais como luz, água, alimentação e moradia.

Além disso, se você está precisando de dinheiro, repense seus gastos em todo o local em que vai. Mude seus hábitos. Procure as ofertas nos supermercados, vá ao cinema nos dias promocionais, pense em locais de lazer que não vão te fazer gastar tanto, compare seus serviços de TV paga e internet com as outras operadoras, peça descontos, etc.

Não existe fórmula mágica e assim começa o segredo do seu sucesso financeiro.

2 – Se colocar tudo no papel não for suficiente

Casal fazendo contas

Foto: iStock.com/Getty Images

Se você já tentou cortar de tudo no seu orçamento e mesmo assim não deu certo, existem algumas coisas a pensar antes de pegar o dinheiro:

– Pense novamente: você não está emprestando o dinheiro somente para fins de consumo? Se sim, reflita se dá para esperar mais um pouco e junte a grana.

Pesquise, pesquise e pesquise. As condições de juros são diferentes conforme o seu perfil. Bancos e financeiras querem que você faça o empréstimo com eles, pois é algo que dá muito retorno, portanto, a concorrência é bem grande e é uma forma de você se beneficiar com taxas menores. Não deixe de negociar.

– Pergunte ao gerente do seu banco sobre portabilidade de crédito (caso você tenha outras dívidas), se você pode antecipar a restituição do imposto de renda ou o seu décimo terceiro e as condições de empréstimo consignado. Sobre o empréstimo consignado lembre-se: sua renda será abatida, portanto é essencial que você saiba que terá menos dinheiro no mês.

Se você tem algum dinheiro parado, use-o. Caso receba juros para deixar esse dinheiro guardado, provavelmente eles rendem menos que os juros de um empréstimo.

3 – Verifique as condições para um “bom” empréstimo

Como parar de depender de empréstimos

Foto: Shutterstock

Empréstimos pessoais são frutos da falta de planejamento e economia, por isso é difícil dizer que existe um empréstimo ótimo. Porém, é possível verificar se ele foi feito da melhor forma possível:

A prestação tem que respeitar seu orçamento. Não deixe que a soma de parcelas mensais que você paga, incluindo o empréstimo, ultrapasse 20% do que você recebe por mês. Neste caso, pode valer a pena trocar suas dívidas antigas por uma que caiba no seu orçamento e não cause uma bola de neve com juros e atrasos constantes.

– Calcule o número de parcelas pelo valor delas. Assim você saberá quanto você pagou e quanto vai ter que pagar. É a forma mais simples de comparar as propostas diferentes. E isso não vale só para empréstimos. Muitos crediários embutem juros nas parcelas e você acaba pagando mais que o dobro do valor do produto.

4 – Poupar para não sofrer

Seguindo todas essas dicas, logo você conseguirá terminar de pagar o que deve. Mas não volte ao passado e tome uma atitude diferente quando o dinheiro voltar a sobrar: poupe!

Como parar de depender de empréstimos

Foto: Vinicius Tupinambá/Shutterstock.com

Imprevistos sempre acontecem e ter dinheiro na hora para resolvê-los é a chance de não voltar ao fundo do poço financeiro. Pare de depender do banco para solucionar seus problemas dessa forma.

Além disso, compras à vista costumam oferecer descontos para os consumidores. Ou seja, além de gastar menos, você poderá usar o dinheiro que sobra para outros fins, ou então, comprar uma coisa ainda melhor com a diferença! Guardando dinheiro você também ganha um bom tempo para pensar se aquilo que quer comprar é mesmo necessário.

Com isso, você vai conseguir finalmente realizar o sonho de comprar aquele carro, sua casa, fazer aquela viagem inesquecível e se tornar realmente independente, sem dívidas que te pressionem e atrapalhem seu bem estar no dia a dia.

Consultoria:
Rodrigo Leone, consultor financeiro pessoal. ( http://gestorfp.com.br/)
Prof. Mauro Calil, educador financeiro. (http://www.academiadodinheiro.com.br/)

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.