Cérebro: aprenda a mantê-lo ativo por mais tempo

Você sabia que alguns fatores externos têm efeitos poderosos na manutenção da saúde mental? Algumas medidas podem ser bastante efetivas. Confira!

None
Foto: iStock.com/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 24/11/2016 às 12:07
Atualizado às 12:40

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Além de uma boa alimentação, algumas medidas podem ser bastante efetivas quando o assunto é memória afiada. Hábitos simples têm efeitos poderosos na manutenção da capacidade mental. Aposte nessas dicas para ajudar no bom funcionamento do cérebro durante toda a vida.

Cérebro lâmpada funcionamento

Foto: iStock.com/Getty Images

Sono em dia

Embora o cérebro não descanse enquanto se dorme – na verdade, ele trabalha até mais! – várias pesquisas científicascomprovam que uma boa noite de sono é essencial para manter a concentração, sem a qual tanto o aprendizado quanto a fixação de informações acabam comprometidos.

Outra atividade interessante e fundamental para a memória, que acontece durante o sono, é a reorganização dos dados recebidos ao longo do dia. Esse trabalho é realizado durante a fase mais profunda do sono, chamada REM (sigla em inglês para movimento rápido dos olhos). Como a quantidade de informações que o órgão recebe é realmente muito grande, ele precisa não apenas organizá-la como descartar o que é “desnecessário”. Esse descarte pode levar em conta fatores racionais (por exemplo, aprendizado científico) como emocionais (um fato que desagradou ou o nome de uma pessoa que não acrescentaria nada em sua vida). Assim, depois de uma bela noite de descanso, pela manhã o cérebro estará pronto para receber novas informações, bem como recuperar as que ficaram “arquivadas”.

Mente relaxada

É preciso “dar um tempo” para o cérebro relaxar. E isso não é apenas uma questão psicológica, mas química também. Um estudo realizado nos Estados Unidos, em 2004, descobriu que em estado de estresse, o organismo pode ativar uma enzima chamada quinase proteica C (PKC) que, além de prejudicar a memória, está associada a doenças como o distúrbio bipolar e a esquizofrenia. Portanto, separe um período do seu dia para se dedicar ao que mais gosta de fazer: escutar música, ver televisão, navegar na internet, ler, passear… O importante é fazer seu cérebro desligar-se um pouco dos problemas cotidianos e deixá-lo repleto de lembranças positivas.

Corpo em movimento

Foto: iStock.com/Getty Images

Foto: iStock.com/Getty Images

Os benefícios das atividades físicas para o cérebro foram comprovados por pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). No estudo, 50 voluntários, com idades entre 60 e 75 anos, se submeteram a um programa de atividades físicas três vezes por semana, por um período de cinco meses. O resultado foi que todos eles apresentaram melhor capacidade de memorizar fatos. Mas é importante salientar que, para obter bons resultados, os exercícios físicos precisam ser feitos de forma regular. Uma caminhada de 30 a 40 minutos diariamente já é suficiente para manter o cérebro ativo.

Eterno aprendizado

A capacidade de aprendizagem do ser humano não se esgota com o tempo. Os estudos apontam que realizar atividades mentais variadas todos os dias ajuda a manter a memória ativa. Jogar xadrez, resolver problemas lógicos, ler livros, estudar novos idiomas, aprender a tocar um instrumento musical e fazer palavras cruzadas são algumas das boas práticas que favorecem a memória.

Momento de descanso

Após o trabalho reserve pelo menos uma hora para o relaxamento. Isso pode ser em forma de atividade física, uma conversa sobre assuntos “fúteis” (não relacionados ao trabalho), uma volta com o cachorro pelo quarteirão… O que vale mesmo é ter um momento reservado só para você.

Cérebro malhado

Os exercícios aeróbicos apresentam melhores resultados para o bom funcionamento do cérebro do que a musculação. É o que constatou um estudo publicado em 2010 na revista científica Psicologia e Saúde. Isso porque nadar, caminhar ou correr são atividades que liberam uma substância chamada beta-endorfina, associada às sensações de bem-estar e lazer.

Texto: Redação Alto Astral

LEIA TAMBÉM: