Fim do calote: 5 dicas para fazer clientes inadimplentes pagarem

Calote nunca mais: veja como algumas dicas e ferramentas podem ajudar no seu negócio e fazer com que os clientes inadimplentes te pagem

None
Com atitudes simples você pode diminuir as taxas de inadimplência do seu negócio. | Foto: iStock

por Lirian Coelho
Publicado em 28/03/2017 às 13:15
Atualizado às 13:35

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

É comum no Brasil muitos empreendedores acabarem perdendo dinheiro com calotes e clientes inadimplentes. É realmente difícil adivinhar qual deles será um cliente-problema, porém, os donos de negócios formais e informais devem adotar medidas que previnam esse tipo de furada. Aí vão algumas dicas:

mão feminina tirando dinheiro da carteira, clientes inadimplentes

Com atitudes simples você pode diminuir as taxas de inadimplência do seu negócio. | Foto: iStock

1. Credenciado

Por mais que alguns tipos de negócio exijam transações comerciais mais informais e necessitem de flexibilidade na hora do pagamento (por isso a venda “fiada”), o vendedor deve deixar claro (e também se certificar) que seu estabelecimento é credenciado ao Serviço de Proteção ao Crédito e/ou ao Serasa quando permitir o pagamento tardio.

2. Tudo organizado

Se você não pode abrir mão de vender fiado, faça isso com responsabilidade. Monte uma planilha no computador (ou em um caderno mesmo) para anotar o nome completo do devedor, telefones (evite anotar um número só), dia da compra, valor, demais
documentos e o que mais for necessário para identificar seu cliente depois. Afinal, se não tiver nenhuma informação sobre o comprador, como vai encontrá-lo para fazer as cobranças?!

3. Pagamento garantido

Hoje em dia é difícil encontrar quem não use cartão de crédito ou débito, não é mesmo? Portanto, prefira oferecer essa opção de pagamento sem sofrer muito com os valores cobrados pelas administradoras pois, se um cliente falhar com o pagamento, a dívida será responsabilidade da entidade financeira, e você receberá mesmo assim!

cartão de crédito, máquina, compras

Cartões de crédito e débito garantem o seu recebimento. | Foto: Shutterstock

4. Com nota fiscal

Para garantir seus direitos em casos de inadimplência, é fundamental fornecer nota fiscal. Se não fizer isso, quem estará cometendo crime de sonegação é você! Além disso, é uma garantia de que poderá acionar o cliente devedor no futuro, para assim receber tudo que lhe é de direito.

5. Crédito pessoal

Não saia dando créditos muito grandes sem conhecer cada cliente. Uma boa relação de confiança deve ser construída aos poucos, assim ambos os lados saem beneficiados: o vendedor, por saber que está lidando com um cliente que paga o que deve e o
próprio consumidor, que se sente satisfeito por saber que é valorizado.

Microempreendedor individual

O autônomo que quiser ser registrado para fornecer notas fiscais e até ter um CNPJ tem condições facilitadas através da lei do MEI (Microempreendedor Individual). O MEI será enquadrado no Simples Nacional e ficará isento dos tributos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL). Assim, pagará apenas o valor fixo mensal de cerca de R$ 50 que será destinado à Previdência Social e ao ICMS ou ao ISS. Acesse o site do portal do empreendedor e regularize-se.

LEIA TAMBÉM:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.