Islamismo, Espiritismo e religiões de matriz africana: o que dizem sobre o amor?

Através dos tempos, a filosofia e as diferentes religiões têm tentado expressar o amor com diferentes discursos e ensinamentos

None
(Foto: Pixabay)

por Redação Alto Astral
Publicado em 20/06/2017 às 17:57
Atualizado às 17:57

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Tempo, distância, tamanhos ou preconceitos podem até prejudicar, mas jamais diminuir as capacidades e os benefícios do amor. No entanto, isso não significa que seja impossível categorizar suas diferentes naturezas. Enquanto na filosofia as definições tendem a ser bem exatas, do ponto de vista religioso, as visões são expostas de maneiras variadas: ora diretas e didáticas, ora místicas e reflexivas.

Entretanto, embora existam diferenças entre as religiões, as mensagens convergem para a ideia de que o amor é a força capaz de unir e superar todas as diferenças – fato que, embora sabido, costuma não ser compreendido ou praticado por boa parte das pessoas. Sendo assim, confira frases ou ensinamentos que sintetizam os conceitos em algumas crenças:

Espiritismo

Allan Kardec afirmou que “amar o próximo é fazer-lhe todo o bem que nos seja possível e que desejáramos que nos fosse feito”. Não à toa, a doutrina espírita entende o amor como uma lei moral da vida, imanente à caridade e, num plano mais amplo, uma força física da união.

Matriz africana

No Brasil, a Umbanda, o Candomblé e outras doutrinas com origens no sincretismo creem que o amor é um dom que Olodumare (divindade criadora de tudo) deu a Oxum, orixá que também representa a deusa das águas doces e da fertilidade. Por conta disso, funciona como espécie de “divindade casamenteira”, uma vez que é a responsável pelas uniões.

Islamismo

De acordo com os conceitos muçulmanos, o amor divino se difere do amor humano, que se divide em graus, mas jamais alcança o nível do primeiro. “Os crentes só amam fervorosamente a Allah.” (Alcorão 2: 165). Além disso, para o islã, o sentimento está ligado ao ódio, no sentido que não se pode amar a Allah ou aos outros sem com isto não odiar o mal.

LEIA TAMBÉM

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.