ENTRETENIMENTO

Reencarnação: o que a ciência tem a dizer sobre isso?

Confira tudo o que a Psicologia Anomalística tem a dizer e já descobriu sobre a manifestação da reencarnação na visão científica

None
FOTO: Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 14/12/2016 às 14:57
Atualizado às 15:59

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Quando a Psicologia Anomalística recebe relatos que envolvem a reencarnação, procura-se inicialmente esclarecer como e por que as pessoas estão convencidas de que aquilo de fato aconteceu, assim como entender os indivíduos mais céticos.

A reencarnação é apenas uma das possibilidades de se interpretar uma série de experiências humanas altamente complexas, sendo que outras possibilidades interpretativas são igualmente viáveis a depender da cultura em questão, da história de vida das pessoas e mesmo da maior ou menor intensidade com que determinada característica psicológica se manifesta nelas”, resume o pesquisador Leonardo Martins.

Assim, para os estudos científicos na área, a reencarnação é um termo amplo que engloba diversos fenômenos psicológicos, culturais e até biológicos, que envolvem todas as experiências subjetivas vivenciadas pelos indivíduos mais espiritualizados e ainda a nossa própria capacidade de experimentar estados alterados de consciência, que, como reforça o pesquisador, nos possibilitam vivenciar estados como os transes mediúnicos e as lembranças de vidas passadas.

cruz, flor e bíblia que remetem ao Espiritismo e à reencarnação

FOTO: Shutterstock.com

Quais as explicações possíveis para a reencarnação?

O pesquisador Leonardo Martins indica que as pesquisas científicas buscam ser totalmente independentes em relação às crenças religiosas das pessoas, e que todos os estudos lidam com questões bastante minuciosas e extremamente complexas.

Várias conclusões têm surgido dessas análises – e o especialista comenta que muitos casos conhecidos como “provas” da existência de vidas passadas consistem em fraudes ou meros erros de interpretação. “Às vezes, por exemplo, ocorrem fenômenos prosaicos como a criptomnésia, que é a memória de um fato ou cena qualquer sem que a pessoa se lembre de onde aquilo veio”, explica Leonardo, “assim, uma criança muito jovem pode ter ouvido uma história sobre alguém e, anos depois, lembrar-se da imagem mental que ela fez dessa história quando a ouviu pela primeira vez – sem lembrar que ouviu isso de terceiros. Então, tais imagens vêm à sua mente como se fossem uma lembrança pessoal – e isso acontece muito mais do que as pessoas imaginam”.

Outro ponto importante a ser levantado diz respeito à investigação propriamente dita de casos notáveis. “A imensa maioria dos casos famosos foi investigada de forma precária, o que se pode perceber pela ausência de certas medidas para detectar e descartar diversas possibilidades alternativas de explicação para tais ‘lembranças’”, diz o estudioso. Desse modo, considerando todos esses pontos envolvidos, ainda não é possível chegar a uma conclusão definitiva a respeito de eventos como a reencarnação, mas os estudos seguem firmes.

LEIA TAMBÉM

Consultorias: Leonardo Martins, doutor em Psicologia Social, pesquisador na área de Psicologia Anomalística e membro do Laboratório de Psicologia Anomalística e Processos Psicossociais (Inter Psi) da Universidade de São Paulo (USP); Marta Antunes Moura, vice-presidente da Federação Espirita Brasileira (FEB).