Planeta dos Macacos: conheça a história por trás da franquia

Com o lançamento de Planeta dos Macacos: A Guerra nessa quinta-feira, relembramos a história de uma das franquias mais antigas do cinema.

None
IMAGEM: Divulgação

por Redação Alto Astral
Publicado em 02/08/2017 às 19:06
Atualizado às 19:06

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

A franquia Planeta dos Macacos é muito antiga. O primeiro filme a ser lançado é de 1968, e ficou famoso pela sua cena final, na qual acontece a revelação de que o planeta onde o protagonista aterrizou é na verdade a própria Terra.

A história da franquia, entretanto, começa ainda antes, com a publicação do livro do autor francês Pierre Boulle, que leva o mesmo nome do filme e da franquia. O filme original, que contava com Charlton Heston como um astronauta que sobrevive a uma colisão em um estranho planeta dominado por macacos, onde os humanos são apenas animais semi-racionais sem grandes capacidades cognitivas. Após conseguir uma fuga complexa e escapar para as áreas selvagens do planeta, ele descobre os restos da Estátua da Liberdade, comprovando que estava na verdade na Terra.

O filme foi um sucesso comercial absurdo e agradou levemente à crítica, o que rapidamente levou o estúdio 20th Century Fox a encomendar sequências. Foram lançados: De Volta ao Planeta dos Macacos (1970),  Fuga do Planeta dos Macacos (1971), A Conquista do Planeta dos Macacos (1972) e Batalha do Planeta dos Macacos (1973).

Com o falecimento em 1974 de Arthur P. Jacobs, o produtor por trás da franquia no cinema, o estúdio decidiu encerrar a série de filmes. Mas a franquia era muito valiosa para deixar de ser produzida. A opção do estúdio, então, foi criar um seriado televisivo, que durou uma temporada. Em 1975 o estúdio aceitou passar os direitos temporariamente para a NBC produzir uma série de desenho animado. Nenhuma para a televisão deu certo.

A franquia ficou dormente até 2001, quando o estúdio lançou uma versão com direção de Tim Burton. O filme foi amplamente criticado por ter criado um final inexplicável e paradoxal, o que não condizia com o tema de ficção científica fiel às possibilidades reais do filme. Burton planejava realizar sequências, mas foi desencorajado.

Apesar do fracasso da tentativa no começo do terceiro milênio, a força comercial do nome Planeta dos Macacos era muito forte para ser ignorado. Assim, em 2001 foi criado um conceito de reboot para a franquia, contando a história desde o seu começo e colocando Andy Serkis para viver o macaco César, que nos filmes anteriores era uma figura messiânica nos macacos. O filme original desse conceito foi lançado em 2011 com o nome Planeta dos Macacos: Origem.

Pela primeira vez desde o filme original, um filme da franquia foi sucesso de crítica. A postura realista e de crítica à natureza humana do filme contribuiu para a criação do conceito de uma trilogia. Assim, em 2014 estreou nos cinemas Planeta dos Macacos: O Confronto, sequência direta do filme anterior.

Nessa quinta-feira, 2 de agosto de 2017, finalmente chega aos cinemas o final da trilogia, com o nome de Planeta dos Macacos: A Guerra. O filme já é considerado o desfecho perfeito para a série e agradou a muitos críticos que viram o filme antes do lançamento.

LEIA TAMBÉM:

TAGS

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.