Idioma nas redes: poliglota ensina métodos para aprender novas línguas através das redes sociais

As mídias sociais vão muito além do entretenimento! Saiba como usá-las para aprender idiomas de forma autodidata

Veja como aprender idiomas nas redes sociais
Veja como aprender idiomas nas redes sociais - Shutterstock

por Beatryz Gaia
Publicado em 16/08/2021 às 12:30
Atualizado às 12:30

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Atire a primeira pedra quem nunca assistiu a vídeos engraçados de coreografias e dublagens nas redes sociais do momento, TikTok e Instagram. Os aplicativos de mídia para criar e compartilhar fotos e vídeos curtos não saem das telas dos aparelhos celulares tanto dos jovens quanto dos mais velhos. Porém, se você pensa que as plataformas entregam apenas entretenimento, está enganado. Quem busca adquirir novos conhecimentos, pode se deparar com truques e dicas de diversos universos. Entre eles, o das línguas estrangeiras.

Com a pandemia e o isolamento social, para não deixar a mente vazia, a quantidade de usuários interessados em aprender de forma autodidata aumentou, até porque, além do conforto de não sair de casa, aprender um novo idioma pela internet também é uma chance de acompanhar de perto os ensinamentos publicados por nativos e professores que dominam as línguas que você quer compreender.

O nível de conhecimento de inglês do brasileiro

Quem está na ativa procurando emprego no mercado de trabalho, sabe muito bem que o idioma inglês atualmente é pré requisito no currículo. De acordo com um levantamento do British Council, 5,1% da população brasileira de 16 anos ou mais afirma possuir algum conhecimento do idioma inglês. Entre os mais jovens, de 18 a 24 anos, o percentual dos que afirmam falar inglês dobra, chegando a 10,3% das pessoas nessa faixa etária.

Segundo o estudo, o baixo nível de conhecimento do inglês apresentado pelos brasileiros é decorrência direta das oportunidades educacionais a que eles têm acesso. Por isso, a gama de conteúdos disponíveis no meio digital ainda surge como uma ferramenta para quem não teve a oportunidade de frequentar cursos de línguas.

Poliglota defende o ensino autodidata

As facilidades do mundo virtual é como um sonho para quem antigamente precisava do auxílio de CDs e livros para aprender novos idiomas. O poliglota Pedro Richardson, autor do blog de viagens Travel With Pedro, considera que o caminho até o conhecimento de uma nova língua teria sido mais fácil se tivesse a ajuda da internet no período da adolescência. "Com certeza, hoje em dia, com tantos novos recursos, com um audiovisual mais avançado e a maravilha das redes sociais, aprender uma língua ficou mais fácil", analisa.

Apesar de defender o ensino autônomo, Pedro, que também é formado em Letras pela Universidade Federal de Viçosa, reforça a importância de ter disciplina e manter a motivação para chegar à fluência de um novo idioma. "Não se pode deixar cair na armadilha de querer apenas ser fluente, já que fluência é algo subjetivo e a falta de foco vai causar frustração. É preciso ser específico e ter metas palpáveis e realistas", aconselha.

Dicas para aprender novos idiomas em casa

O nômade digital, que divide o tempo entre Londres, Turquia e Espanha, desenvolveu estratégias para aprender de forma gratuita no mundo digital. Ele diz que aprendeu o básico do russo através de vídeos no YouTube, porém, seu aprendizado foi participativo. Para aprender, ele explica que é preciso escrever, parar o vídeo e repetir, e "imitar" a pronúncia.

Além disso, para Pedro, que aprendeu cinco das sete línguas que fala de forma autodidata, o uso de aplicativos específicos para o aprendizado de idiomas é uma opção. "Alguns aplicativos têm um método muito bom para o aprendizado. E realmente funcionam. As versões gratuitas são mais limitadas, mas já dão uma base interessante", argumenta.

O poliglota também valida os conteúdos didáticos produzidos e compartilhados por influenciadores digitais no TikTok e no Instagram, pois os considera como uma forma de manter o contato diário com a língua estrangeira. Desta maneira, é possível aprender a qualquer momento, seja na fila do supermercado, na academia ou quando levar o cachorro para passear.

Fonte: Pedro Richardson, especialista em turismo internacional, tem formação em Hotelaria pela Blue Mountain International Hotel Management School e Letras pela Universidade Federal de Viçosa, é dono do perfil Travel With Pedro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.