Confira dicas de fotógrafos para cliques perfeitos!

Avalie

Algumas técnicas podem parecer simples detalhes aos olhos dos leigos, mas fazem a maior diferença no resultado final das fotografias. Para que você não erre mais, consultamos fotógrafos profissionais que explicam como é possível obter melhores resultados nas imagens que fazemos no dia a dia. Confira:

Melhor horário

A fotógrafa Carla Frascareli, da Laço Amarelo Fotografia Lifestyle, ensina que os horários ideais para fotografar são pela manhã, entre às 8h e 10h30, e a tarde, entre às 15h30 e 18h. No segundo caso, deve-se começar o ensaio sempre na sombra e mais para o fim do dia explorar o sol. “ Evite os outros horários, pois a luz é muito forte. Além da sombra ‘dura’, a pessoa não consegue abrir os olhos normalmente”, explica.

mulher tirando fotos

Foto: Shutterstock

Uso do flash nas fotos

A fotógrafa Sylvia Gosztonyi acredita que, apesar de a luz natural ser sempre preferida em relação ao uso de flashes, este é um aliado quando não há iluminação suficiente no local. “Um exemplo é quando a pessoa fotografada está posicionada contra a luz: a paisagem (fundo da foto) fica bem iluminada, porém o rosto da pessoa fica escuro. Se neste momento utilizarmos o flash da câmera ou celular, a luz do flash iluminará o rosto da pessoa”, esclarece o fotógrafo Carlos Hinke. No caso das câmeras compactas a potência do flash é limitada, conseguindo iluminar apenas alguns metros de distância.

Com a mão na massa

Não tire uma foto só em cada pose. Pelo contrário, faça muitas! Depois é só selecionar as que mais gostou. Na hora de fotografar, use roupas e sapatos confortáveis. Dessa forma você terá mais flexibilidade para abaixar e levantar. Para quem tem cabelos longos, também é bom mantê-los presos para que não fiquem caindo no rosto, atrapalhando a visão na hora dos cliques.

Ângulos

Eles fazem toda diferença em uma composição. Gosztonyi sugere que o fotógrafo se curve um pouco para tirar fotos de pessoas, de maneira que a câmera fique na altura dos rostos; ao fotografar crianças, deve-se abaixar na altura delas e, no caso dos animais,  o melhor é sentar no chão. Essas dicas são importantes para que a imagem mantenha a proporção nos tamanhos. Hinke indica que deve-se evitar fotografar pessoas com a câmera apontada de baixo para cima, pois a papada fica em evidência, ajudando a ”engordar”. Fotografia é um exercício e se aprende muito com tentativa e erro. Experimente fotografar de cima para baixo, de baixo para cima, com a câmera inclinada… O que vale é a criatividade.

Filtros

Muito utilizados atualmente, os filtros agregam características especiais às fotos, deixando-as com ar mais artístico. Entretanto, Gosztonyi defende que é necessário ter cautela em relação ao seu uso: “Assim como ajudam a melhorar a foto, podem piorar o defeito. Corre-se o risco de o filtro tirar a naturalidade da imagem, envelhecer ou plastificar a pessoas e iluminar demais a pele”, alerta. Seja no celular ou no computador, Hinke ressalta que deve-se evitar aplicar o filtro na foto original, para preservar suas características. O indicado é fazer uma cópia e modificá-la o quanto quiser.

homem tirando fotos de mulher

Foto: Shutterstock

Depois dos cliques

O fotógrafo Diego Mendes dá dicas para editar fotos e montar álbuns online. “O melhor programa para edições simples, como cortar um pedaço da foto, clarear fotos escuras e tirar olho vermelho é o Microsoft Office Picture Manager, que já vem na maioria dos pacotes do office”, sugere. O site Digipix permite baixar um programa chamado D-Book, que tem um sistema bem fácil para montagem de álbuns. “Depois de pronto, o arquivo é baixado e você pode imprimir em várias lojas virtuais, como Americanas, Extra e Saraiva”, finaliza.

Para imprimir

Atualmente existe grande quantidade de modelos e marcas de câmeras digitais e smartphones disponíveis no mercado e nem sempre as configurações de resolução de imagens são iguais. “Simplificando, uma resolução a partir de 1800×1200 pixels e 300 dpi é suficiente para imprimir uma foto no tamanho mais utilizado comercialmente, que é o 10cm x15cm”, pontua Hinke. Quanto maior a resolução, mais espaço ocupará no cartão de memória e melhor definição terá na impressão. “Por isso é importante pensar o que vai fotografar para calcular a capacidade do cartão de memória que precisa adquirir”, ressalta Gosztonyi.

Vale a pena!

Hinke afirma que vale a pena dedicar um tempo para ler o manual de instruções da câmera. Um equipamento custa caro e a maioria das pessoas não aproveitam os recursos disponíveis por não conhecê-los. Até mesmo na internet é possível encontrar o manual de várias câmeras em muitos idiomas.

Nas nuvens

Hoje em dias as fotos costumam ser armazenadas no computador, nuvem, CD ou HD externo, ou até deixadas no próprio cartão de memória. A sugestão de Gosztonyi é sempre manter uma cópia de suas imagens em dispositivos diferentes. Assim terá a garantia de que suas lembranças estão sempre em segurança.

Consultoria: Carla Frascareli, Carlos Hinke, Diego Mendes e Sylvia Gosztonyi, fotógrafos profissionais.

LEIA TAMBÉM:

Mais lidas