Xuxa sofreu abuso sexual: 'tenho que reviver todos os sentimentos'

Xuxa faz triste relato sobre abuso sexual que sofreu na infância

Apresentadora tinha apenas 4 anos

Xuxa sofreu abuso sexual
Foto: Reprodução/Instagram

Em entrevista à uma coluna na revista Vogue, na edição publicada nesta segunda (25), o assunto foi além de entretenimento. Xuxa sofreu abuso sexual quando era criança e contou como essas situações a deixou apavorada e resultou em um episódio traumático em sua vida, pois os abusadores foram professores, amigos de família e até o seu próprio avô.

 Xuxa sofreu abuso sexual na infância e relatou como se sentiu

Xuxa aprendeu a lidar com esses momentos difíceis. ‘É difícil escrever, pois tenho que reviver todos os sentimentos: culpa, raiva, impotência e medo. Mas se isso puder ajudar alguém a pelo menos entender essa tribo de gente que assim como eu sofreu abuso, já valeu meu sufoco e esforço‘, relatou.

Xuxa sofreu abuso sexual quando tinha quatro anos. A apresentadora explicou que dormia com os irmãos e a mãe durante a tarde enquanto eles moravam no Sul. Nisso Dona Alda costumava dar um elixir para dormir aos filhos com a finalidade de abrir o apetite.

Esse método deixava os filhos sonolentos, e uma dessas tardes Xuxa acordou assustada após sentir algo estranho em seu rosto. “Me lembro de um cheiro de álcool de alguém, uma barba que machucou o meu rosto e algo que foi colocado na minha boca. Acordei dizendo que alguém tinha feito xixi na minha boca e meus irmãos disseram que eu tinha sonhado. Essa foi minha primeira experiência com abuso sexual, que, diga-se de passagem, eu não me lembro direito, mas existiram outros casos…”.

Em outro episódio, quando tinha entre e seis anos. Xuxa contou que sofreu abuso sexual até por parte de primos pré-adolescentes. “Sentia tocarem em mim, colocavam o dedo, doía, não sabia distinguir o que sentia, por isso não chorava e nem reclamava com ninguém sobre o acontecido”.

Esse sentimento de imponência deixou Xuxa contou com tristeza como era a situação. “Essa mesma pessoa vinha ao Rio quando eu já tinha entre 9 e 10 anos, e, quando a família dormia, colocava seus dedos por debaixo dos lençóis e me tocava”, relatou.