Como vender bolos em época de crise

Veja como faturar com bolos mesmo em tempos de crise. Quem trabalha na área explica como inovar, afastar a queda nas vendas e não parar de crescer!

Bolo na fôrma, luva vermelha, farinha, foto plonge
FOTO:iStock

Você já deve estar cansada de saber, mas é sempre bom lembrar mais uma vez: é o cliente que transforma o seu negócio (seja ele pequeno ou médio) em um grande sucesso! Essa afirmação deve ter feito você se questionar: então, em épocas de crise, quando as pessoas cortam gastos e fazem maior economia, é um erro apostar no próprio negócio?

A resposta para essa pergunta: é claro que não! Pois, momentos financeiros difíceis pedem serviços que se adequem às novas necessidades e é aí que está a sua oportunidade de fazer a diferença. Por exemplo, em vez de comprar sapatos novos, consertam-se os antigos. No lugar de trocar o carro por um zero km, troca-se por outro usado.

Assim, da mesma forma que sapateiros e lojas de carros seminovos veem seus negócios crescerem em períodos de crise, também existe saída para a venda de bolos e o segredo está em saber empreender.

Bolo na fôrma, luva vermelha, farinha, foto plonge

FOTO:iStock

Encomendas

Para fazer das encomendas de bolo algo vantajoso, não basta calcular os custos, os gastos fixos e acrescentar a porcentagem do lucro, pois nada garante que as pessoas irão comprar de você os seus quitutes. Saber conquistar o cliente e torná-lo um comprador fiel que é o grande segredo!

Por isso que em épocas de dificuldade econômica é tão importante saber como convencer o cliente de que vale a pena ele gastar seu suado dinheiro com o produto que você vende. Para tanto, confira algumas opções de como empreender:

Personalize as encomendas

Fazer de cada bolo uma produção única e tratar cada cliente da maneira mais especial possível. Desde a seleção dos ingredientes até o modo como a encomenda foi embalada atende o gosto de um cliente específico, ou seja, cada detalhe foi pensado para agradá-lo.

O lucro não está em vender grande quantidade de bolos, mas em vendê-los por um preço que valorize o trabalho da boleira. Por esse motivo, o atrativo desse tipo de negócio não é o valor dos produtos.

Seja especialista

Escolher uma receita e preparar apenas ela, é fazer com que o seu bolo seja o melhor bolo que as pessoas já tenham provado. Esse tipo de negócio é super específico, por isso, até que seu bolo, por exemplo, de chocolate, fique conhecido como “o melhor bolo” de chocolate, você precisará investir na divulgação.

Você pode divulgar em veículos de comunicação da sua região (rádios e jornais), apostar em folders, na divulgação “boca a boca” e, principalmente, valorizar a internet e as redes sociais, já que nelas a mensagem chega até o seu cliente de forma rápida e, o melhor, você pode fazer sem precisar pagar nada!

Crie receitas novas

O diferencial das suas encomendas pode ser receitas mais do que especiais: criadas por você e que mais ninguém faça igual. Essa opção de negócio é extremamente criativa, então, você precisa ter em mente de que até chegar a uma receita que considera ideal, precisará jogar fora muitos ingredientes.

Bolo fofo com calda em prato branco sobre uma toalha azul.

FOTO: Guilherme Andrade | PRODUÇÃO: Zulmira Fátima e Vânia Araújo

Empreendendo na prática: uma escolha de sucesso!

Márcia Souza e Rose Lopes são duas irmãs que moram no interior de São Paulo, em Santa Bárbara D’Oeste. Buscando uma alternativa de ganhar o próprio dinheiro, elas apostaram na produção de bolos.

Mas não de qualquer bolo, elas optaram por aquelas receitas que têm a cara da vovó: são simples e muito saborosos! Rose, que aceita encomenda de bolos confeitados, comenta que para a parceria com a irmã escolheu os bolos caseiros, pois “eles podem ser consumidos a qualquer momento, diferente dos bolos de aniversário que costumam ser comprados em datas específicas”.

Márcia completa dizendo que outro benefício é o valor, porque “por ser mais barato do que o confeitado, as pessoas conseguem comprar no dia a dia”. Sendo que, além de ser uma ótima escolha para o paladar e para o bolso, esse tipo de quitute também é uma opção para o cliente que não tem tempo de prepará-lo em casa.

Assim, as irmãs definiram o produto, o cliente e inovaram na forma de entregada seguinte maneira:

  • Produto: que possa ser consumido em qualquer ocasião e que tenha um valor acessível.
  • Público: pessoas que gostam de bolo caseiro, mas não tem condições (tempo, espaço etc.) para prepará-los.
  • Diferencial: entregar a encomenda.

Da parceria de Márcia e Rose nasceu a Oficina das Delícias. No primeiro dia, elas fizeram 13 bolos, uma semana depois, já estavam fazendo 21. Ou seja, a produção aumentou mais de 60% e sabe o que é mais incrível?

A parceria e o crescimento aconteceram no segundo semestre de 2015, em um período econômico que muitos dizem ser de crise. É importante ressaltar que as irmãs também não gastaram com publicidade!

Elas criaram um perfil no Facebook e uma conta WhatsApp, mas a propaganda forte mesmo está sendo realizada pelo velho e bom “boca a boca”. Assim, a Oficina das Delícias comprova que não há tempo ruim quando se tem boa vontade e uma ótima ideia.

LEIA TAMBÉM

Consultoria: Márcia Souza e Rose Lopes, boleiras e donas da Oficina das Delícias (Santa Bárbara D’Oeste – SP) | Texto: Gabriela Arroyo/Colaboradora | Edição: Lirian Pádua