UNCATEGORIZED

Tesoura milagrosa: recupere a saúde e a beleza de seus cabelos

Quando os fios estão opacos, porosos e sem vida, é hora de apostar em uma tesoura milagrosa, ou seja, em um bom corte de cabelo! Trouxemos tudo o que você precisa saber antes de apostar em um novo visual

None
Foto: Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 27/07/2018 às 08:40
Atualizado às 10:41

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Fios porosos, sem vida, opacos, ressecados, estáticos, elásticos, com pontas duplas ou triplas, volume excessivo e escamas abertas. Essas características são sinais de que os cabelos estão necessitando de uma tesoura milagrosa! “Na maioria das vezes é preciso cortar. Mas existem tratamentos no mercado que reconstroem os fios criando uma película ao redor do cabelo sem impermeabilizá-los. As linhas de tratamentos voltadas para cabelos que estão partidos são um bom exemplo”, considera Wagner Lisboa, hairstylist do salão Club Capelli. Porém, quando os tratamentos capilares não fazem mais efeito na recuperação de um cabelo danificado pela ação excessiva de químicas, descoloração ou tintura, é hora de cortar!

Escolha certa

Depois de identificar a necessidade de corte, o próximo passo é escolher o melhor para você. Nessa hora, converse com seu cabeleireiro e faça uma análise de visagismo para optar por um look que evidencie seus pontos fortes e esteja de acordo com sua personalidade. As orientações para quem quer se livrar da parte com química são: evitar cortes em camadas ou desfiados e optar pelos modelos curtos. “Quem alisa o cabelo geralmente quer ter fios longos. Então, para ficar no meio termo e sair do alisamento, o chanel é uma ótima pedida”, indica Wagner.

Manutenção

Depois da mudança, invista em tratamentos que repõem os nutrientes dos fios e não se esqueça de conservar o visual refazendo o corte. De acordo com Ronnie Oliver, hairstylist do Studio Gladys Acosta, o tempo pode variar entre 20 dias a três meses, conforme o crescimento das madeixas. “Isso irá depender do estado do cabelo. Em alguns casos, quando o dano é profundo, só o tempo e o corte periódico renovam as mechas”, considera Ronnie.

Coloração tem jeito

No caso de a tintura dar errado, é possível consertar sem recorrer à tesoura. “Existem outros tipos de coloração e de tonalizantes que podem ser uma boa saída e salvar o visual”, considera Ronnie. Mas, se os fios estiverem elásticos, sem força, embaraçando ou quebrando com facilidade, melhor é escolher um bom corte para retirar a parte danificada.

Tesoura milagrosa: cortes que salvam

Em alisamentos que detonaram os fios, “os melhores são os cortes curtos, mas não tanto, porque os resíduos do alisamento podem ser mais perceptíveis. O corte chanel reto é uma ótima opção. Nunca repique nem corte joãozinho se não quiser escovar para modelar o fio”, destaca Wagner. A dica é ter bom-senso e saber como valorizar seus fios e as características naturais deles. Os cabelos lisos são os que mais precisam de manutenção, pois perdem com facilidade as linhas de corte. Os afro podem demorar mais, devido ao fator encolhimento, mas não deixe de visitar o salão se as pontas estiverem queimadas e danificadas. “Quando os cabelos estão muito picotados, devastados, precisam de corte com mais frequência. Os retos levam mais tempo para manutenção”, diz Ronnie. A dica de Wagner Lisboa é evitar cortes muitos repicados ou desfiados. “Se o fio estiver partido aproveite e faça do problema uma forma de corte. Se tiver degraus de ruptura de fios, aposte em camadas para não ter uma perda total e o cabelo ficar bonito”, aconselha.

Volta dos caracóis

Quando a intenção é abandonar o alisamento e aderir ao enrolado natural, sem danificar as madeixas, a dica é escolher um look para mudar de vez e adotar uma rotina de cuidados com os fios. Beth Luth, cabeleireira do Lady&Lord do Shopping Curitiba, explica que a hidratação e a cauterização ajudam a proteger as madeixas dos danos da progressiva. “O ideal é que a hidratação seja realizada uma vez por semana. Já a cauterização, no mínimo, uma vez por mês”, recomenda Beth. Para quem faz uso de ativos químicos que alisam os fios, a cabeleireira sugere um corte para não ficar com um aspecto crespo na raiz e liso nas pontas. “Se for aplicado apenas um produto para soltar a raiz, é melhor deixar o cabelo crescer. No caso do alisamento, as mulheres podem aderir aos cortes modernos que ajudam a eliminar a parte danificada dos fios”, diz. Depois disso, para manter os fios crespos bem-cuidados, é preciso investir em finalizadores, como um sérum e óleos, que ajudam a recuperar a vida dos fios deixando-os com uma maior resistência. Além disso, Beth alerta para o cuidado na hora do enxágue a fim de remover bem os produtos do cabelo, passar um leave-in e, em seguida, secar com uma toalha de algodão para controlar o volume. “Já para quem quer valorizar os cachos, a dica é esquecer a escova e ajeitar os fios com os dedos para deixá-los bem definidos”, completa.

Texto: Redação Alto Astral | Consultoria: Ronnie Oliver, hairstylist do Studio Gladys Acosta, do Rio de Janeiro (RJ); Wagner Lisboa, hairstylist do salão Club Capelli, do Rio de Janeiro (RJ); Beth Luth, cabeleireira do Lady&Lord do Shopping Curitiba (PR)

LEIA TAMBÉM