Como lidar com a desobediência do meu filho?

A pedagoga Maria Irene Maluf elencou cinco situações em que a desobediência do seu filho pode passar dos limites e como lidar com ele nessas situações

None
Impor limites é necessário para evitar a desobediência e contornar situações desconfortáveis (FOTO: iStock.com/Getty Images)

por Redação Alto Astral
Publicado em 20/11/2017 às 11:30
Atualizado às 13:49

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

A desobediência parece ser inerente a algumas idades dos filhos. É fato que a educação de uma criança perpassa por alguns estágios importantes. Desde as descobertas do mundo, instigação de sentidos, socialização com diversos grupos sociais até chegar ao estabelecimento de regras para convívio harmonioso. Há, com isso, choques entre pais e filhos, principalmente ao estabelecer limites.
As conversas assíduas parecem não surtir efeitos, ainda mais quando a criança passa a ter mais autonomia e faz descobertas independentes, sobretudo fora de casa. Como lidar diante dessas situações? A pedagoga Maria Irene Maluf elencou cinco situações em que você pode passar por apuros e explica o que pode ser feito para amenizar ou findar isso:

1) Desobediência

Caso seja um comportamento recorrente, a mãe deve conversar (de forma contundente e não como uma amiga ou irmã), explicando as regras e os limites para a criança. “E ser firme, não cedendo à tentação de voltar atrás”, ensina a pedagoga Maria Irene Maluf.

2) Criança que mente

“Crianças pequenas confundem realidade e fantasia porque esse é o caminho normal do amadurecimento mental”, explica a pedagoga. Por isso, procure não desfazer delas na frente de estranhos, porém nunca deixe de conversar a sós com o pequeno sobre o assunto: é preciso que saiba que os pais perceberam a mentira e não a aprovam.

3) “Se mete” na conversa de adultos

Não há nada mais desagradável do que uma criança opinando em assuntos que não lhe dizem respeito e que fogem à sua compreensão. Mesmo que pareça engraçado, não reforce a atitude com risos, pois, como ela quer chamar a atenção, adotará a intromissão como um hábito. “Aí, não tem jeito: é indispensável ter muita paciência e ensinar que esse comportamento é inadequado”, recomenda a especialista.

4) Diz “verdades” para a mãe

Dizer a verdade é saudável, mas quando há respeito pelo outro: criança que diz tudo o que pensa não aprende a se controlar. Assim, vive sem limites, provocando situações complicadas e constrangedoras quando cresce. É preciso educar o pequeno sobre os momentos e a forma certa de falar.

5) Quando são chantagistas

É necessário rigor absoluto, não importa a idade: chantagear e manipular são comportamentos que tendem ao desafio de autoridade, aos problemas de conduta e aos atos antissociais. “Os pais devem enfrentar a criança e jamais, sob hipótese alguma, ceder à chantagem”, alerta Maria Irene.

VEJA TAMBÉM: 

Consultoria: Maria Irene Maluf, pedagoga especialista em psicopedagogia e educação especial. E-mail: [email protected] uol.com.br

Edição: Luis Felipe Silva

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.