A ciência da decoração: o uso da ergonometria na sala

Confira dicas de como deixar sua sala funcional, bonita e confortável usando a ciência da ergonometria e os móveis certos!

None
Foto: Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 22/11/2017 às 10:33
Atualizado às 13:45

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Você já parou pra pensar em como uma sala de medidas reduzidas pode não apenas ser bonita, mas também funcional? A seguir, você confere dicas, segundo a ciência da ergonometria, para deixar tudo no lugar e o material ideal para otimizar espaço e as funções do dia a dia!

Ergonometria: a grande ajuda

Qual a distância necessária entre móveis para que a circulação seja facilitada? Qual material e tipo de iluminação devem ser usados? Qual a melhor altura para o balcão da cozinha? São questões como essas que a ergonometria, ciência que estuda de que forma um cômodo pode ser prático para seu público, procura responder.

Mesa de centro

A mesinha de centro é um charme e pode ser super útil. Por isso, a ciência da ergonometria explica que, distância ideal entre ela e os assentos de sofás e poltronas deve ser de 60cm. Quando maior que isso, ela perde sua funcionalidade, já que as pessoas teriam que se levantar para chegar até ela.

Feito de quê?

O material de cada móvel varia de acordo com o gosto pessoal. Mas você deve pensar também na manutenção. Por exemplo, sofás de couro são mais fáceis de limpar, mas muitas pessoas os acham desconfortáveis. Pense e pesquise antes de comprar

Adaptações

Se o seu lar tem a presença de idosos ou crianças, é fundamental pensar em adaptações para evitar acidentes. Para idosos, inclua apoio em lugares estratégicos e que os auxilie na hora de andar. Para crianças, é importante ficar atento a quinas de mesas e tomadas, por exemplo.

Protagonista

O sofá é com certeza a grande estrela da sala, por isso, tudo que o envolve deve ser bem pensado. Planejar a altura dos assentos é importante, para não dificultar o trabalho de quem vai sentar, e, principalmente, de quem levanta.

Texto: Redação Alto Astral | Fonte: Livro Projetando espaços – Design de Interiores, Senac, de Miriam Gurgel

LEIA TAMBÉM 

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.