Personagens inesquecíveis: Tonho da Lua, Mulheres de Areia (1993)

Interpretado por Gianfrancesco Guarnieri em 1973 e por Marcos Frota vinte anos depois, Tonho da Lua marcou a novela protagonizada pelas irmãs Ruth e Raquel

Tonho da Lua, personagem de Marcos Frota em Mulheres de Areia. Na foto, ele está na praia ao lado de uma escultura de areia.
Por Erika Alfaro - 28/11/2018

Tonho da Lua, personagem de Marcos Frota em Mulheres de Areia, na versão de 1993. (Foto: Divulgação)

Escrita por Ivani Ribeiro, Mulheres de Areia foi ao ar pela primeira vez pela extinta Rede Tupi. Em 1993, estreou na Rede Globo e, 25 anos depois, segue como um dos maiores sucessos da emissora, muito devido à interpretação de Marco Frota no papel de Tonho da Lua.

“A Raquel é má!”

Irmãs gêmeas idênticas, Ruth e Raquel (Gloria Pires) eram parecidas apenas na fisionomia. Enquanto Ruth era doce e honesta, Raquel se mostrava ambiciosa e cruel, capaz de tudo por dinheiro. Tonho da Lua era o único a perceber isso, apesar de sua inocência. Ao descobrir o romance entre Ruth e Marcos Assunção (Guilherme Fontes), Tonho sabia que Raquel seria capaz de tudo para tirar o grande amor de sua irmã, por causa da inveja e da ambição.

Tonho era o protetor de Ruth e fazia o que fosse possível para vê-la feliz, por isso, sofria com as maldades de Raquel, que o perseguia e destruía suas esculturas de areia.

Um amor platônico

Tonho da Lua alimentou um amor platônico por Ruth, e não via o quanto era amado por Alzira (Giovanna Gold). A jovem estava sempre por perto, para defender e alegrar Tonho. Ele, com seu coração cheio de bondade, apenas agradecia.

As belas esculturas de Tonho da Lua

Tonho era enteado de Donato (Paulo Goulart) e irmão de Glorinha (Gabriela Alves). Com problemas mentais, sofria nas mãos do malvado padrasto, mas nunca deixou de proteger a irmã.

Suas limitações não o impediram de ser o melhor artista da praia, com esculturas maravilhosas. O litoral brasileiro se encheu de estátuas de areia, feita por talentos como Tonho da Lua.

Fantasia real

“Quem conhece os segredos da imaginação não se perde nem perde a razão, não precisa dizer de onde tirou as ideias que deixa no chão…” Biafra cantava o tema de  Tonho, espalhando pelos quatro cantos do Brasil o amor e a compaixão.

LEIA TAMBÉM

Texto: Hérica Rodrigues | Edição: Érika Alfaro