Conheça os diferentes tipos de pimentas e saiba como utilizá-las

Aproveite e descubra os benefícios que elas geram para a saúde e duas receitas especiais de conserva

tipos de pimenta
Foto: Getty Images

Com sabores característicos e muito utilizados na culinária, os diferentes tipos de pimenta possuem cores e tamanhos únicos. Eles são conhecidos pela ardência que provocam quando consumidos e podem ser utilizadas de formas diversas em uma grande variedade de pratos.

A pungência é efeito da capsaicina, substância presente no fruto. Variações ambientais e genéticas, como condições climáticas e de crescimento, influenciam o nível de ardência, que é medido seguindo a Escala de Scoville.

As pimentas, normalmente, são utilizadas como um tipo de tempero, apesar de alguns entrarem no preparo de sobremesas ou serem consumidas como o próprio aperitivo. Aliadas a uma boa comidinha de boteco, ficam ainda mais irresistíveis.

Saboreie os tipos de pimenta mais conhecidos no Brasil

Pimenta dedo-de-moça

tipos de pimenta
Foto: Shutterstock

De origem brasileira, esta pimenta tem sabor e aroma mais suaves se comparada com outros tipos e esse é o motivo principal para seu sucesso. Seu consumo e uso podem ser feitos de diversas formas, desde molhos ou até mesmo em sobremesas. Ela contém vitamina A e C, sendo um ótimo antioxidante.

Pimenta biquinho

biquinho
Foto: Shutterstock

A pimenta biquinho se destaca por ser menos ardente e muito menor do que a maioria das pimentas. Exatamente por isso ela agrada até mesmo quem não gosta tanto do produto. Além do uso em receitas, é comum utilizar a pimenta biquinho como decoração em pratos e até mesmo como o próprio aperitivo.

Pimenta malagueta

malagueta
Foto: Shutterstock

Conhecida por ser uma das pimentas mais ardidas, a malagueta pode ser utilizada em receitas, mas o mais comum é o uso em molhos ou adição do vinagre (em que normalmente é conservada) no preparo de algum prato.

Pimenta jalapeño

jalapeno
Foto: Shutterstock

Com sabor característico e originária do México, a pimenta japaleño é utilizada na culinária em diversos locais do mundo. Ela é colhida ainda verde e pode ser utilizada em recheios, molhos, receitas com carne ou cruas. Se estiver fresca, é possível adicioná-la à saladas, principalmente as que tiverem tomate, já que a combinação entre os ingredientes tem sabor único.

Pimenta-do-reino

Foto: Shutterstock

Originada na Asia, essa pimenta logo ficou conhecida no mundo todo, o Brasil hoje é um dos maiores exportador deste tempero. De acordo com uma pesquisa feita pelo Nutrient Journal essa especiaria age nas enzimas digestivas, aumentando a absorção das vitaminas B e C, sêlenio e betacaroteno. Esse condimento é muito utilizados em carnes, também pode ser adicionados com ovos, saladas de verduras e legumes e suflês.

Pimenta caiena

tipos de pimenta
Foto: Shutterstock

Conhecida por ser a mais medicinal, ela traz vários benefícios para a saúde por ser rica em vitaminas A e C. Ela acelera o metabolismo, auxilia na má circulação do sangue e estimula na digestão, entre outros vários benefício. É mais indicada para se usar com peixes, carnes e frangos, também em sopas, caldos e até sucos.

Conserva de pimenta

É comum encontrar pimentas em conserva para vender. O produto pode ser feita com diversos ingredientes, sendo os mais comuns o azeite e o vinagre. Mas, você sabe a diferença entre esses dois tipos?

Conserva em vinagre

Esse tipo de conserva tem menos risco de contaminação (por conta da acidez do vinagre) e permite combinação de ingredientes, diferente da conserva de azeite. Além disso, é possível misturar diversos tipos de pimenta no mesmo frasco e adicionar condimentos que vão além do sal, como cravo-da-índia, cominho e alho, por exemplo.

Outro ponto positivo desse tipo de conserva é que a pimenta mantém sua estrutura mais crocante. O vinagre branco é o mais indicado por manter a coloração da pimenta mesmo depois de bastante tempo. Além disso, o próprio vinagre ganha um sabor picante e pode ser utilizado em diversas receitas.

Ingredientes:

  • 1/2 kg de pimenta dedo de moça (ou uma de sua escolha), devem estar limpas e secas sem o talinho
  • Vinagre branco
  • Sal a gosto
  • 5 gotas de limão

Modo de preparo:

Para esterelizar o vidro, lave bem, depois escalde em agua fervente, por uns 15 minutos, deixe escorrer virado de boca para baixo até secar. Depois de seco, coloque as pimentas no vidro até quase o nível da tampa. Pingue as gotas de limão. Coloque o sal. Encha o vidro com o vinagre e tampe bem. Agite o vidro para que haja a mistura dos ingredientes. Guarde fora da luz por volta de uns 15 dias, depois é só degustar.

Conserva em azeite

Um pouco mais difícil de ser feita, essa conserva de tipos de pimenta requer bastante atenção, já que se houver algum tipo de contaminação corre-se o risco de gerar uma intoxicação alimentar, como o botulismo. Por isso, é indicado que o processo de conserva seja feito por pessoas qualificadas na área para que este risco seja menor e o processo limpeza e preparação do alimento seja feito de maneira correta.

Diferente da conserva em vinagre, para conservar pimentas em azeite não pode haver mistura de pimentas nem adição de especiarias e temperos, já que a conserva pode durar menos tempo e o sabor da pimenta vai ser alterado.

Ingredientes:

  • 2 e 1/2 xícaras (chá) de azeite de oliva
  • 4 dentes de alho amassados
  • 2 folhas de louro
  • 1 xícara (chá) de pimenta-do-reino em grãos
  • 1 xícara (chá) de pimenta malagueta inteira e lavada
  • 1 xícara (chá) de pimenta dedo-de-moça inteira e lavada
  • 1 xícara (chá) de pimenta-de-bode inteira e limpa

Modo de preparo:

Em uma panela, aqueça o azeite de oliva e doure o alho com o louro. Reserve por 20 minutos. Intercale os tipos de pimentas formando camadas em vidros esterilizados, despeje o azeite, tampe os vidros e conserve em geladeira por até 2 meses.

Benefícios da pimenta

Você sabia que, além de deliciosa, a pimenta pode ser benéfica para o seu organismo? Ao ser consumida semanalmente ou em uma dieta regrada, é possível aproveitar das suas vantagens para a saúde.

Alivia a dor

O aumento do fluxo sanguíneo em algumas regiões do corpo quando consumimos pimenta pode ajudar no alívio de dores, como dor de cabeça e enxaquecas, por exemplo.

Previne doenças

Além da capsaicina, o betacaroteno e a vitamina C presentes na pimenta podem ajudar no combate e prevenção a várias doenças. Diabetes, problemas no coração e até mesmo o câncer de pâncreas e de próstata podem ser combatidos com o consumo de pimenta.

É anticoagulante

Problemas relacionados à circulação de sangue, como a formação de coágulos, podem ser combatidos com o consumo de pimenta. Isso porque as vitaminas A, C e algumas do complexo B ajudam na circulação e quebram os coágulos formados.

Leia também: