Identifique o seu tipo de apetite e emagreça com saúde!

A compulsão alimentar é um distúrbio que impede o emagrecimento e traz complicações ao organismo. Identifique o seu tipo de apetite e perca peso com saúde

mulher com tipo de apetite compulsivo comendo alimentos dentro da geladeira
Foto: iStock.com/Getty Images

Quando o estômago fica vazio, ele produz um hormônio que envia sinais para o corpo avisando que é hora de comer. Nesse momento, o olfato se intensifica e temos, literalmente, água na boca na presença de um alimento devido ao aumento da produção de saliva. Mas e quando comemos mesmo sem haver a necessidade do nosso organismo? Descubra o seu tipo de apetite com as dicas da nutricionista Eliane Nardon e saiba se controlar na hora de comer.

mulher com tipo de apetite compulsivo comendo alimentos dentro da geladeira

Foto: iStock.com/Getty Images

Qual o meu tipo de apetite?

Cada tipo de apetite, compulsivo e impulsivo, pode ter como causa uma alteração no estado emocional. “A pessoa não pensa para comer nem presta atenção no que come. Quando percebe, o alimento já acabou sem que tenha sentido qualquer prazer”, explica Eliane. A ansiedade é outro sentimento que pode desencadear o comer compulsivamente ou por impulso. Nesse caso, acontece a busca na comida de um alívio para uma dor, um problema ou uma insatisfação. Geralmente os alimentos mais procurados são os carboidratos, como massas, pães e doces.

– Compulsivo: a situação de fome compulsiva ocorre quando a pessoa come de forma descontrolada, ingerindo uma grande quantidade de alimentos em um curto período de tempo (aproximadamente 2 horas), e em seguida tem o sentimento de vergonha e arrependimento. Esse comportamento pode indicar um Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica – TCAP – que atinge a maioria dos obesos.

– Impulsivo: a fome impulsiva acontece quando o ato de comer é feito apenar por prazer ou pelo fato de a comida estar facilmente ao alcance, sem que haja a fome ou sem que seja o horário de se alimentar. As famosas “beliscadas” são um exemplo dessa atitude.

Acontece comigo?

Para detectar se você se encaixa em um dos casos, vale observar alguns sintomas. Ao comer, pergunte-se se está com fome ou se quer apenas aliviar uma tensão ou sofrimento. Se perceber a segunda opção pelo menos duas vezes por semana por mais de seis meses, procure um nutricionista. Ele irá instruí-la a alimentar-se corretamente e poderá detectar a necessidade de auxílio psicológico.

Tratamento

De acordo com Elaine, para cuidar desses problemas são necessárias algumas etapas. Primeiro é preciso identificar os alimentos que desencadeiam a compulsão (geralmente chocolate, doces, pães e gorduras) e reduzir seu consumo. Depois, analisar quando o desejo por determinado alimento acontece e em que estado emocional a pessoa se encontra: se está aborrecida, triste, ansiosa, deprimida ou cansada. Por último, tentar se distrair fazendo alguma atividade que a mude do foco da comida.

LEIA TAMBÉM

Texto: Beatriz Albuquerque | Consultoria: Eliane Nardon, nutricionista clínica de São Paulo (SP), (11) 3474-6157