Suicídio entre adolescentes: proibição não é caminho para a prevenção

Acompanhamento e diálogo aberto com os filhos proporcionam segurança ao jovem e reduz chances de um ataque contra a própria vida

Suicídio entre adolescentes. Na foto, uma mão com vários remédios espalhados
Foto: Pixabay

No primeiro semestre de 2017, um “jogo” macabro ganhou destaque na mídia nacional e internacional: o Desafio da Baleia Azul, que incentiva uma lista de tarefas prejudiciais que terminam com o suicídio. Na época, mortes ocorridas no Brasil e em diversos países do mundo foram atribuídas ao desafio, tendo em sua maioria jovens que sofreram algum tipo de bullying durante a infância e a adolescência. E, ao contrário do que muitos acreditam, não é proibindo os filhos de usar o celular ou acessar as informações via computador que vai deixar a família fora dos índices de suicídio entre adolescentes .

É preciso mostrar a eles que os pais são um porto-seguro e estarão sempre prontos para quando eles precisarem. Além disso, orientá-los, abordando o tema suicídio abertamente também é uma forma de prevenção.

Confira algumas dicas para saber lidar com o tema suicídio entre adolescentes:

 

LEIA TAMBÉM:

Texto: Da redação | Consultoria: Ana Flávia Parenti, psicóloga e coordenadora do curso de psicologia da Universidade Cidade de São Paulo (UNICID)