Gota: conheça a doença inflamatória que causa muita dor nas articulações

A gota é uma doença bastante incômoda para quem sofre com ela, e está diretamente ligada a uma alimentação rica em sódio. Vem tirar todas as suas dúvidas!

gota
Dor intensa nos membros inferiores inchaço nessa região são sintomas da gota. FOTO: Istock.com/GettyImages

Ela é uma doença silenciosa, dolorosa e composta por crises, que podem ter duração entre três e 10 dias. Quem sofre de gota sente um grande incômodo, na maioria das vezes, nas articulações dos pés, área mais afetada pelo distúrbio. “A gota é uma doença relacionada com o excesso de ácido úrico no sangue. Tipicamente, a doença começa com uma crise de dor e inflamação intensa acometendo apenas uma articulação (geralmente nos membros inferiores)”, relata o reumatologista Ari Halpern.

 

Desvendando a doença

Para explicar melhor a doença, é preciso ressaltar que as dores nas articulações se dão pela presença de cristais de monourato de sódio (formados por conta da elevação do nível de ácido úrico no organismo) nas articulações, que pode provir de diferentes motivos. Além disso, a presença excessiva do próprio ácido úrico também pode desencadear a inflamação das articulações, já que ele tende a ser transformado em urato de sódio por meio de uma enzima. “É caracterizada pelo acometimento preferencialmente da articulação do primeiro dedo dos pés, com dor, calor, rubor e edema que ocorre devido ao depósito de cristais de ácido úrico na articulação”, ressalta a reumatologista Maria Cecilia Anauate.

 

Influência que vem do prato

Além de poder ser uma consequência do uso abusivo de medicamentos diuréticos (responsáveis por diminuir os líquidos corporais) que podem reduzir a eliminação do ácido úrico do organismo, pela falta de enzimas responsáveis por este trabalho nos rins ou até mesmo pela produção em excesso do ácido no organismo, não se deve descartar que a alimentação inadequada pode piorar (e muito) a presença do componente na corrente sanguínea. Por isso, escolher os alimentos certos e manter uma dieta equilibrada, principalmente composta por alimentos leves, é o ideal. Para os portadores da doença, o recomendado pelos especialistas é moderar a ingestão de proteínas, eliminar de vez qualquer alimento que contenha gordura em excesso e reduzir a ingestão de carboidratos simples (deve-se apostar nos complexos, aqueles que demoram mais para serem digeridos pelo organismo).

gota

Dores nos membros inferiores são as principais características da gota. FOTO: Istock.com/GettyImages

Sintomas e tratamentos

“Muitos pacientes não se dão conta que têm a doença. A crise aguda pode ser confundida com um trauma ou entorse. Quando a gota se torna crônica, ela pode ser confundida com outras formas de artrite”, argumenta Halpern. Quando se está tendo uma crise de gota, o primeiro sintoma é o inchaço da região afetada. Depois, a dor passa a se manifestar de forma aguda e bastante incômoda, bastando apenas um pequeno atrito ou um leve encostar para que a sensibilidade desencadeie fortemente. Infelizmente, a gota não tem cura, por isso, é preciso manter um tratamento constante a fim de evitar novas crises. Normalmente, as recomendações médicas giram em torno de uma alimentação leve, além de medicamentos específicos para diminuir os níveis de ácido úrico no organismo. Se a doença não for tratada devidamente, a saúde do portador corre sérios riscos: um deles é a deformidade das articulações, além da expansão dos sintomas para tendões, cartilagens e até mesmo outras articulações. Em casos extremamente graves e não tratados, corre-se até mesmo o risco de amputação do membro afetado.

carne de porco

A carne de porco é um dos alimentos desencadeadores da gota. FOTO: Istock.com/GettyImages

Para evitar as crises da doença é preciso deixar de ingerir alimentos que contenham altas concentrações de proteínas, tais como:
*Frutos do mar
*Carnes vermelhas gordas
*Feijão
*Lentilha
*Cogumelo
*Espinafre
*Ervilha
Além disso, quando a doença estiver em seu estágio agudo, bebidas alcoólicas são intoleráveis.

 

LEIA TAMBÉM