Conheça a trajetória de fé do padre Alessandro Campos

Padre Alessandro Campos, conhecido como o padre sertanejo, costuma levar a palavra de fé aos fieis através da música. Conheça um pouco mais de sua história.

Padre Alessandro Campos
Por Thomas Garcia - 05/01/2017

Foto: Divulgação

A música sertaneja e a paixão pelas celebrações da Igreja Católica marcaram a infância de Alessandro Correa de Campos. O menino nascido em Guaratinguetá, SP, percebeu logo cedo, aos sete anos, sua vocação. “Minha brincadeira era celebrar missas com bolacha Maria e suco de groselha, vestido com a camisola da minha avó. Meus primos já não aguentavam mais”, conta o padre Alessandro Campos. Desde que foi levado pela avó à sua primeira missa, o religioso já sabia que era esse o caminho que seguiria para o resto de sua vida: “A primeira coisa que eu vi quando entrei na igreja foi um lindo crucifixo no altar, me senti completamente apaixonado por Jesus Cristo naquele momento”, recorda.

Aos dez anos, tornou-se coroinha, e teve seu chamado reconhecido pelo padre Orfeu Miato, que o encaminhou para o seminário. Assim, o padre Alessandro tornou-se um dos mais jovens do Brasil, ordenando-se aos 24 anos, na cidade de Resende, RJ.

Mas engana-se quem pensa que a escolha foi precipitada. Padre Alessandro tem muito orgulho de sua vocação e comenta que sentia-se totalmente preenchido servindo a Deus, até mesmo quando as missas eram apenas de brincadeira. “Quando digo que não sei jogar bola, que conheço poucos programas de televisão, que não sei jogar videogame, as pessoas perguntam: ‘Padre, mas o senhor não teve nem curiosidade?’. Eu respondo: ‘A bolacha Maria e o suco de groselha me preenchiam totalmente.’

Padre Alessandro Campos

Foto: Divulgação

Evangelho pela música

Depois de ordenado e por pertencer à Arquidiocese Militar, padre Alessandro dedicou-se à Paróquia do Colégio Militar de Brasília, engajando-se nas Forças Armadas até fevereiro de 2011. Entretanto, uma missão falou mais alto: evangelizar através de sua música.

Ainda na época de coroinha, o padre já cantava na igreja, junto da mãe e da irmã. Ele conta que a paixão pela música sertaneja é herança familiar: “É a minha raiz. Venho de uma família rural, de sertanejos, onde todo domingo meus avós, após o almoço, faziam aquela roda de viola. Sempre digo que todos nós, de uma certa forma, temos o pé na roça.”

Tudo começou quando, em suas missas, o sacerdote passou a adaptar a letra de alguns clássicos da música sertaneja para levar a mensagem de Jesus. O chapéu passou a fazer parte da batina e, logo, todos os fiéis já estavam cantando e saudando os irmãos com o bordão “Segura, cristão!”, marca registrada do padre Alessandro.

O trabalho com a música foi ganhando espaço, quando então, o padre deixou as Forças Armadas para se dedicar ao trabalho missionário, viajando e levando suas canções por todo o Brasil. No entanto, faz questão de afirmar que, antes de qualquer coisa, está a serviço de Deus, e a música é apenas um instrumento para sua evangelização. “Acredito fielmente que foi Deus que me encaminhou para isso, porque nunca me considerei cantor, nunca quis ser cantor; sempre quis ser padre. Mas algo me deixava inquieto, eu queria ser um padre diferente, e não sabia como seria isso”, comenta.

Oração do Padre Alessandro Campos

“Senhor nosso Deus, maravilhoso e eterno Pai, dignai-vos a abençoar o nosso trabalho, a nossa vida! Livra-nos de todo o mal, de todo o perigo, de toda a doença do corpo e da alma, e pela intercessão da bem-aventurada Virgem Maria, abençoa a minha casa e a minha família! Em nome do Pai, do Filho e do Espirito Santo, amém!”

LEIA TAMBÉM

Edição: Thomás Garcia/Colaborador | Design: Camila Silva/Colaboradora