Shampoo vilão? Conheça alternativas para a hora de lavar as madeixas

Entenda a polêmica do "shampoo vilão" e fique por dentro de alternativas saudáveis e ecológicas para lavar o cabelo

mulher no salão lavando o cabelo
Foto: Shutterstock.com

Você imagina entrar no banho e só esfregar a cabeça com água? Acha estranho? A blogueira americana Jacquelyn Byers não. Ela surgiu na mídia dizendo que se você não pode beber o shampoo, como se sentir confortável colocando-o em sua pele? Depois de conferir os inúmeros componentes químicos presentes na composição do produto, ela decidiu abolir o uso de vez do “shampoo vilão” e adotar só água. Depois disso, diversas mulheres começaram a discutir o assunto e trocaram os produtos da prateleira por alternativas feitas em casa ou diminuíram a aplicação. Se você ficou em dúvida sobre lavar as madeixas sem shampoo e se a mudança de hábito realmente vale a pena, fique ligada nas nossas dicas!

Desmistificando: shampoo faz mal?

O produto tem o papel de remover a oleosidade e a sujeira acumuladas durante o dia, fator essencial para a higiene dos cabelos e couro cabeludo. Mas, afinal, qual o problema? “Os ativos encontrados no shampoo, como o lauril éter sulfato de sódio, lauril sulfato de sódio, lauril sulfato de amônia, cloreto de sódio, petrolatos e parabenos são detergentes poderosos e cumprem bem o papel de higienizador e desengordurante, porém deixam o couro cabeludo mais exposto, pois removem com maior intensidade sua proteção natural, denominado manto hidrolipídico”, destaca Adriano Almeida, dermatologista especialista em tricologia e diretor da Sociedade Brasileira do Cabelo. Por isso, o médico sugere conferir os rótulos antes da compra e evitar os componentes citados acima. Além disso, o especialista recomenda diminuir o uso dos produtos. “Assim você consegue expor os cabelos a uma menor quantidade de shampoo sem prejudicar a higienização dos fios e couro cabeludo”, aponta.

Shampoo vilão?

A partir do momento em que você percebe quais produtos podem fazer mal, fica mais fácil escolher alternativas benéficas para seu cabelo e saúde. “Sugiro os ingredientes naturais que já são usados há centenas de anos, como é o caso do jaborandi e da babosa”, indica. Mas Adriano destaca que é ideal o uso de cosméticos que contenham esses ativos, uma vez que in natura algumas plantas podem gerar fitofotodermatose, queimaduras promovidas por componentes existentes nas folhas. Outra opção é diluir o shampoo, diminuindo seu poder adstringente. Para substituir o cosmético, algumas pessoas optam por produtos de cozinha, como vinagre e bicarbonato de sódio. “O uso desses artigos, além de não ser efetivo e não ter odor agradável, não cumpre o papel de higienização”, ressalta o tricologista. Shampoo infantil também não é indicado por não ser desenvolvido para cabelos de adultos.

Texto: Redação Alto Astral | Consultoria: Adriano Almeida, dermatologista especialista em tricologia e diretor da Sociedade Brasileira do Cabelo

LEIA TAMBÉM