Mistura do bem: veja como combinar os alimentos pode ser saudável

Ração humana é um termo que pode até não soar muito bem ou mesmo comprometer aquele consolidado ideal de refeição apetitosa. Porém, trata-se de uma mistura que pode revolucionar os hábitos de muita gente, especialmente de quem não tem tempo para correr atrás dos tantos nutrientes, vindos das mais variadas fontes, de que o corpo precisa para se manter.

 

ração humana

A ração humana é rica em nutrientes  Foto: Alan Goulart /Colaborador

Comida de gente

Antes de dar margem a qualquer preconceito, ração humana nada mais é do que uma mistura de vários alimentos ricos em fibras e minerais que são triturados até formar uma espécie de farofa. Como se trata de um suplemento, os nutricionistas são unânimes ao recomendar que não seja usado como substituto de nenhuma refeição, e sim como complemento. “Você pode incluir a ração no lugar de carboidratos como, por exemplo, pão, torradas e bolos que comeria no café da manhã”, recomenda a nutricionista Carolina Viana Marques. É muito fácil encontrar o produto pronto em supermercados, lojas especializadas e até farmácias.

Faça em casa

Ingredientes:

  • 500g de soja em pó
  • 500g de farelo de trigo
  • 500g de farelo de aveia
  • 100g de gergelim
  • 100g de linhaça dourada
  • 100g de guaraná em pó
  • 100g de lêvedo de cerveja
  • 100g de gérmen de trigo
  • 100g de açúcar mascavo
  • 100g de gelatina sem sabor
  • 100g de quinoa
  • 100g de cacau em pó
  • 100g de farinha de maracujá

Modo de preparo: aos poucos, bata todos os ingredientes no liquidificador até formar uma farofa fina. Guarde em um recipiente com tampa, ao abrigo de luz, dentro da geladeira.

Modo de usar

Os especialistas recomendam o consumo de 2 colheres (sopa) de ração humana por dia, de preferência distribuídas pelas refeições – você mistura uma parte no suco do café da manhã e outra polvilha sobre a salada de frutas no lanche da tarde, por exemplo. O importante é ingerir uma boa quantidade de água ao longo do dia, como explica Carolina: “O bolo fecal precisa estar hidratado para produzir o movimento peristáltico ideal e as fezes ficarem macias, favorecendo o intestino. A quantidade de fibras presente na ração é bem grande. Se não houver uma boa ingestão hídrica, o intestino acaba prejudicado, ao invés de favorecido”. Outra opção é consumir os alimentos que normalmente fazem parte da ração em porções separadas, o que pode ser positivo se levarmos em conta que alguns chegam a competir entre si pela adequada absorção das células. 

 

 

Texto Redação Alto Astral

Consultoria Carolina Viana Marques,  nutricionista

 

Leia também: