Aprenda como aliviar os sintomas de transtornos causados pelo isolamento

Psicólogos e neurocientistas falam sobre ansiedade, depressão, claustrofobia, TOC e TDAH durante esse período

Saúde mental na quarentena
Foto: Unplash

Após a imposição do isolamento social como forma de prevenção da disseminação do coronavírus, muitas pessoas viram diluir suas rotinas e até mesmo empregos. No entanto, o abalo que é percebido primeiro no campo socioeconômico, também acontece emocionalmente, principalmente em pessoas que sofrem de algum transtorno psicológico. Pensando nisso, nós conversamos com alguns especialistas no assunto para formular algumas dicas que ajudam a amenizar os sintomas e manter a saúde mental na quarentena em dia.

Saúde mental na quarentena e os transtornos de ansiedade

Depressão e ansiedade

Ambas são enfrentadas por centenas de milhares de pessoas ao redor do mundo e precisam de muita atenção durante este período. Uma dica valiosa para quem sofre com estes tipos de transtorno é ponderar os conteúdos que são consumidos nos noticiários, nos filmes e nos próprios livros. Isto porque podem agravar ainda mais a sensação de instabilidade.

É extremamente importante estar a par daquilo que está acontecendo no mundo, mas não deixe que isso se torne motivo para pânico, procurando limitar o acesso às mídias, por exemplo. Além disso, o exercício físico é fundamental para a liberação de endorfinas que contribuem para a sensação de prazer.

Outro ponto importante é procurar manter os relacionamentos com amigos e familiares. Segundo o neurocientista Aristides Brito, “a convivência faz com que o lado emocional se desenvolva e desperte processos no cérebro que não são utilizados quando se está sozinho. Então, socializar significa melhorar o desempenho das áreas neurais“.

TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo)

De acordo com a psicóloga Aline Gomes, “o TOC está classificado dentro dos transtornos de ansiedade e se caracteriza pela presença de obsessões e/ou compulsões“. Desta forma, a vontade por realizar qualquer que seja aquilo que causa a obsessão causa extrema ansiedade, sofrimento e estado de descontrole, que só passa após a ação.

Por isso, os pacientes que possuem compulsão por limpeza e higiene, por exemplo, são recomendados a consumir menos conteúdos relacionados a Covid-19 neste momento. O vírus pode causar uma sensação perturbadora porque não se consegue saber exatamente como limpar e se proteger contra ele. Os hábitos de limpeza também devem seguir uma frequência para que não se tornem excessivos.

Claustrofobia

Imagina a sensação de precisar ficar em isolamento dentro de casa quando se sente um desconforto enorme em locais fechados. Pessoas com claustrofobia tendem a lidar de forma ainda mais complicada com a quarentena e outras podem acabar desenvolvendo o transtorno caso não haja atenção sobre essas condições neste momento.

Desta forma, é imprescindível procurar táticas para conter o desequilíbrio emocional. Procure por vídeos ou apps que falem sobre técnicas de respiração e meditação para aliviar os sintomas da ansiedade, por exemplo.Outra dica de ouro é se concentrar na rotina e manter sempre atividades em vista para não perceber o tempo enclausurado.

TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade)

Caracterizado principalmente pela falta de atenção e a impulsividade, o TDAH, diferente da desatenção comum, é mais intensificado o que pode causar prejuízos na rotina. O neuropsicólogo Clay Brites explica que “o tratamento é multidisciplinar e depende da idade, da intensidade dos sintomas e dos prejuízos. Deve envolver ações medicamentosas, psicocomportamentais, psicoeducativas e intervenções remediativas em caso de problemas motores e de linguagem associadas”. Sendo assim, é essencial se esforçar diariamente para manter a rotina de cuidados e, caso o quadro seja do uso de medicamentos, não deixar de toma de forma alguma.

O transtorno precisa ser tratado com atenção redobrada neste momento porque pessoas com TDAH podem ter uma maior dificuldade em manter hábitos de higiene por conta da distrabilidade, esquecimento e até mesmo pelo excesso de pensamentos e ideias.

Estabelecer metas e prazos pode ser uma forma de conseguir manter a atenção em uma atividade por mais tempo. Além disso, colocar avisos para realizar as atividade diárias de higiene pode ser uma boa para não esquecer de fazê-las ou focar em outras atividades no meio do caminho.

Leia também: