Salada para toda dieta: entenda a importância das hortaliças no emagrecimento!

Complementar a alimentação com uma salada fresca e variada pode fazer toda a diferença na hora de conferir os quilos na balança

Mulher comendo salada
Foto: iStock.com/Getty Images

As saladas exercem um papel fundamental no cardápio de quem deseja perder peso: são magrinhas, contêm fibras, desintoxicam o corpo e combatem o inchaço. Por isso, elas não podem ficar de fora das refeições. Feitas com folhas, legumes e até frutas, elas podem acompanhar o almoço e o jantar ou, ainda, substituir uma refeição completa. Seja qual for o tipo da salada que você escolher, saiba que seus ingredientes são responsáveis por cuidar do corpo e da saúde, já que previnem diversas doenças e colocam os quilinhos extras para correr! Outros benefícios que essas delícias trazem ao seu dia a dia são a praticidade e a rapidez com que são preparadas. Está esperando o quê para incorporar a salada de vez no seu cardápio?

Salada e Dieta

A maioria dos alimentos que compõe a salada possui poucas calorias, o que deixa a refeição saudável e ideal para ajudar no emagrecimento. Quando feita apenas com folhas verdes, seu valor calórico é mínimo, ou seja, você não corre o risco de cometer deslizes na dieta e, ainda, previne o inchaço.

Xô, prisão de ventre!

Em linhas gerais, todos os legumes e verduras possuem uma boa quantidade de fibras em sua composição. Essas substâncias são responsáveis por favorecer o bom funcionamento do intestino, facilitando a evacuação e ajudando você a ir ao banheiro diariamente. Segundo a nutricionista Claudia Moraes, do Rio de Janeiro (RJ), as saladas (tanto as folhosas quanto as de legumes) devem ser consumidas cruas, pois, dessa forma, o organismo consegue absorver totalmente suas fibras, vitaminas e minerais.

Salada, verduras, legumes variados

Foto: iStock.com/Getty Images

Fome sob controle

Os melhores horários do dia para consumir as saladas e aproveitar os seus benefícios emagrecedores são antes do almoço e do jantar. “Quando começamos a refeição por ela, conseguimos ‘enganar’ nosso cérebro. Isso porque na hora de ingerir o restante dos alimentos, já estamos cansados de mastigar”, explica Claudia. Outro fator que ajuda as saladas a ganharem fama de aliadas da dieta são suas fibras que, em contato com a água, formam um gel no estômago, saciando a vontade de comer fora de hora.

Barriga chapada

Algumas saladas têm ação diurética no organismo, combatendo a retenção de líquidos, principal responsável pelo inchaço abdominal. Para dar um chega pra lá nesse vilão da boa forma, aposte em saladas folhosas, além de couve-flor, couve-de-bruxelas, brócolis, tomate e aipo. Sem contar que você pode incrementar sua salada com frutas ricas em água, que ajudam a desinchar o corpo. Entre as mais poderosas estão o abacaxi, o melão, a melancia e a laranja. Por fim, evite consumir alimentos industrializados, diminua o sal da comida e do tempero da salada e beba bastante líquido.

Salada, cenoura, azeite, verduras

Foto: iStock.com/Getty Images

Sabor especial

No dia a dia, experimente variar os ingredientes da salada para incrementar essa refeição tão importante. Uma dica é misturar folhas com vegetais crus ou cozidos como beterraba, cenoura, abobrinha e milho. Você também pode picar ricota e adicionar ao prato: fica uma delícia! Lembre-se de que quanto mais colorida for a sua salada, mais nutritiva e poderosa ela se torna no combate aos quilinhos extras. Outra opção é temperar as hortaliças com gotas de laranja no lugar do vinagre ou do limão, para dar um toque especial à salada sem exceder o limite de calorias.

Arroz, feijão e… salada!

Como acompanhamento das refeições, ela deve ser composta por verduras e legumes, de preferência, crus. Isso porque, durante o cozimento, eles acabam perdendo nutrientes, fazendo com que o organismo absorva menos do que o necessário. Para preparar uma salada saudável e saborosa, o primeiro passo é escolher os ingredientes que mais lhe agradam. O segundo passo é apostar na melhor combinação de sabores e texturas: o ideal é que a salada tenha folhas, um tipo de grão e até três legumes diferentes. Se você for consumir uma fonte de carboidrato na refeição (arroz, macarrão ou mandioca, por exemplo), não inclua batata na salada, pois poderá detonar seu plano de emagrecimento.

Salada no pote, legumes variados

Foto: iStock.com/Getty Images

Prato principal

Quando a salada possuir todos os nutrientes necessários para o bom andamento do corpo, ela pode ser servida no lugar de uma verdadeira refeição. “É preciso tomar cuidado na hora de trocar uma das refeições por salada para não causar prejuízos nutricionais. A salada que substituirá um prato completo deve conter os macro e micronutrientes, substâncias fundamentais para que haja o equilíbrio e um bom funcionamento orgânico”, detalha Claudia Moraes. Para isso, ela deve conter os três grupos alimentares, classificados em energéticos (carboidratos), reguladores (fontes de vitaminas e minerais) e construtores (proteínas). Os alimentos energéticos podem ser encontrados nos cereais como arroz, trigo e soja, e nas raízes como mandioca, inhame e batata. Já os reguladores estão presentes no grupo das verduras, legumes e frutas. Por fim, as fontes dos construtores são carnes em geral, leguminosas e leite e seus derivados. Se você quiser substituir uma das refeições por uma supersalada, a recomendação dos nutricionistas é que seja na hora do jantar, pois é o momento do dia em que devemos consumir alimentos mais leves, sem deixar nenhum nutriente de lado.

Consultoria: Claudia Moraes, nutricionista da Kanguruh Terceira Idade, do Rio de Janeiro (RJ),  (0xx21) 3165-4005,  www.k3irj.com.br; Ruliane Bittencourt, nutricionista do Rio de Janeiro (RJ),  (0xx21) 2507-9245,  www.espacoverticalzen.com.br

LEIA TAMBÉM