Saia das dívidas! Entrevista com o especialista Samy Dana

O economista e expert em finanças Samy Dana oferece as melhores orientações para você sair das dívidas nesta entrevista especial

samy-dana
Foto: Acervo Fundação Getúlio Vargas (FGV)

O economista referência em finanças pessoais e professor da Fundação Getulio Vargas (FGV) Samy Dana explica quais são as primeiras etapas para sair da dívida e quais gastos podem ser cortados para quitá-la. Confira!

Qual o primeiro passo para sair de uma dívida?

“Primeiro, ver se a taxa de juros é razoável. Se não, você pode fazer a portabilidade de crédito e trocar a dívida cara por uma mais barata. Você faz um empréstimo mais barato e fica devendo menos. A pessoa tem que tentar negociar. Às vezes, é melhor quitar o cartão de crédito e ficar devendo em consignado do que tentar renegociar o cartão. Mas valem as tentativas. Aí, você vai tentar estipular uma parcela que cabe no seu orçamento e ir cumprindo. É preciso que o valor seja razoável e possível de ser economizado.”

E o que levar em conta na hora de fazer o empréstimo?

“Ver o prazo, pois deve ser o menor possível. Às vezes, é melhor uma taxa mais alta por pouco tempo do que uma taxa um pouquinho mais baixa, mas por muito tempo.”

samy-dana


Foto: Acervo Fundação Getúlio Vargas (FGV)

Quais gastos do orçamento podem ser reduzidos ou até cortados para ajudar a poupar e quitar a dívida?

“Quando você vê que a situação não está melhorando, é viável abaixar o seu padrão de vida. Ir morar em um lugar mais barato, vender o carro, colocar os filhos em uma escola mais barata, se for privada. Ninguém consegue viver sem supérfluo nenhum. É igual uma dieta: você pode ficar sem carboidrato, sem sal, sem açúcar, sem glúten por um tempo, mas pra vida toda é muito difícil.”

Levando em conta todos os erros cometidos por quem tem dívidas, quais os principais?

“Eu acho que é não encarar a dívida. Mas também adquirir outra, tentar quitá-la e não conseguir; aí você faz uma dívida da primeira dívida. E deixar as coisas como: ‘ah, uma hora eu vou ver’. É igual fazer uma dieta: a pessoa que está engordando e não quer subir na balança. Então, encarar a dívida seria subir na balança e começar o regime.”

 

Saiba mais!

Economia doméstica: dicas para driblar a inflação

Dívidas: dicas simples para resolver esse problema

Princípios bíblicos para abençoar suas finanças

 

Texto e entrevista: Natália Negretti